Home > Notícias > Mundo > Atentado terrorista com van deixa 13 mortos e mais de cem feridos em Barcelona

200 votos em jogo

Segundo o Palácio do Planalto, o presidente não está gravando as audiências porque o tema ainda está em análise no GSI (Foto: Agência Brasil)

O que está em jogo no recuo do presidente Michel Temer em afastar ministros denunciados ao STF pelo Propinobrecht: 200 votos. Este é o número de deputados dos seis partidos dos oito ministros com representatividade na Câmara Federal – inclusive de boa parte do PMDB, com 64 deputados, dos quais 30 podem se rebelar. O PSDB (com dois ministros e 47 deputados), o PP, com 47, o PSD com 37, o PRB com 24 e o PPS com 8 deputados completam a lista temerária. O presidente não pode abrir mão deste apoio prestes a votar as reformas da Previdência e Trabalhista.

Mais contra

Além do apoio dessas bancadas, as quais não pode provocar com demissão de ministros, Temer já não conta, por baixo, com 96 votos dos opositores PT, PDT, PSOL e PCdoB.

Vai mal

Levantamento sigiloso feito pelo Palácio há semanas mostra que Temer não tem hoje os votos necessários; boa parte por causa de deputados ‘indecisos’.

Quase lá

Só lembrando, para que a PEC da Previdência seja aprovada, em dois turnos na Câmara, o Palácio precisa de 308 votos no mínimo. Temer hoje beira isso.

COT na tela

O COT – Comando de Operações Táticas, a ‘SWAT brasileira’ da PF (Polícia Federal), vai ganhar filme de ficção. A produtora já faz filmagens e convida interessados para figurinistas. A tropa combate o crime organizado e nunca teve uma baixa em 23 anos < www.kikante.com.br/cot >. A PF já está no foco de outro filme sobre a Lava-Jato.

Viúva$

A PF não terá trabalho para identificar na Marinha quem são ‘as viúvas’ que, segundo delator, receberiam os quase R$ 140 milhões de propina paga pela Odebrecht ao lobista José Ramos no contrato da base do submarino nuclear no Rio.

Aos nomes

Os ministros denunciados são Aloysio Nunes (PSDB-SP), Blairo Maggi (PP-MT), Bruno Araújo (PSDB), Eliseu Padilha (PMDB-RS), Gilberto Kassab (PSD-SP), Helder Barbalho (PMDB-PA), Marcos Pereira (PRB-SP), Moreira Franco (PMDB-RJ). Citado, Roberto Freire (SP), da Cultura e presidente do PPS, não teve inquérito aberto.

Vou nada!

O presidente do Congresso, Eunício Oliveira, adotou a rotina do antecessor Renan. Apesar de ficar em Brasília, raramente aparece no Senado às segundas-feiras.

Escárnio

Apareceu uma pichação de ‘Fora Temer’ na fachada do Museu da Cidade em plena praça dos Três Poderes, em frente ao Palácio do Planalto e ao STF. Ninguém viu.

Os Fora-da-lei

Em meio à avalanche provocada pelo escândalo da Odebrecht, a CGU encaminhou ofícios aos tribunais de contas dos municípios e Estados com reforço do pedido de informações sobre empresas inidôneas, suspensas e punidas.

Olho nelas

A Lei Anticorrupção (nº 12.846/13) obriga órgãos de todos os poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e esferas de Governo a manterem os cadastros atualizados. A CGU quer pente-fino para descobrir se as inidôneas foram realmente suspensas.

Vem achaque

Deputados e senadores das “alas independentes” da Câmara e do Senado cogitam propor a criação de uma CPI mista para investigar o escândalo do Propinobrecht. A proposta é prematura, mas já circula pelos corredores do Congresso.

Sem apito

O Secretário do Índio de Roraima, o nativo Dilson Ingarikó, foi demitido porque defendeu demarcações no Estado. Logo para quem? O governador em exercício, o ruralista arrozeiro Paulo Quartiero.

Bom de briga

O vice Quartiero é bom de briga. Quando cercado pela PF com voz de prisão em Pacaraima, anos atrás, pulou a cerca para o lado venezuelano.

Ponto Final

“Eu espero que esses dois ratos (Emílio e Marcelo Odebrecht) estejam mentindo, que senadores não tenham recebido dinheiro para aprovar lei aqui dentro. Eu entrego esse meu mandato imediatamente e nós podemos fechar isso aqui. Vender lei? Isso não é um País sério, isso não é coisa séria, isso é coisa de bandidos.” – Do senador-‘Poliana’ Ataídes Oliveira (PSDB-TO).

Comentários