Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Veja as propostas de Paulo Guedes, o assessor econômico da campanha de Bolsonaro

A Alemanha supera o Brasil como candidata a vencer a Copa do Mundo, segundo um relatório suíço

Taça da Copa 2018 em mala da Louis Vuitton. (Foto: Reprodução)

Atual campeã do mundo, a Alemanha tem a maior probabilidade de vencer a Copa da Rússia de 2018, de acordo com relatório do banco suíço UBS divulgado nesta quinta-feira (17).

Os cálculos utilizados foram feitos por Mark Haefel, executivo responsável pela área de investimentos do UBS Global Wealth Management. Ele usou ferramentas usadas para avaliar oportunidades de investimentos para o banco para prever qual seleção teria maior probabilidade de levar a Copa do Mundo.

A Alemanha tem 24% de chance. O Brasil surge em segundo, com 19,8%, seguido pela Espanha, com 16,1%.

“Nós poderíamos inclusive ver o Brasil ter sua nêmesis [vingança] de 2014, [contra] a Alemanha. Enquanto nós esperamos que a melhor equipe vença, nós também esperamos que o resultado seja menos devastador que da última vez, quando nossos colegas de São Paulo ficaram deprimidos várias semanas depois”, ironizam, no relatório, Themis Themistocleous, responsável pelo escritório de investimento na Europa, e Michael Bolliger, responsável pela alocação em mercados emergentes.

O relatório cita alguns fatores para justificar o favoritismo de Alemanha, Brasil e Espanha. As seleções alemã e espanhola não perderam nenhuma partida nas eliminatórias, enquanto o Brasil perdeu apenas o primeiro jogo contra o Chile, em outubro de 2015. As três já conquistaram o

campeonato mundial: juntas, ganharam dez das 20 Copas realizadas.

Outros fortes candidatos ao título são, segundo o relatório, Inglaterra, França e Argentina. Os cálculos apontam chances de a Bélgica, que nunca ganhou a Copa, levar a taça.

Por outro lado, as chances de o campeão vir da Ásia, da África, do Oriente Médio ou da América do Norte são praticamente nulas, diz o UBS. “Dessas regiões, a Nigéria tem uma das maiores probabilidades de avançar para a segunda rodada, mas será difícil passar da França no encontro nas oitavas-de-final.”

De acordo com os cálculos, a Rússia, país-sede, deve aproveitar o grupo fraco e avançar até as oitavas de final, onde deve perder para Espanha ou Portugal.

O relatório indica ainda que a Copa não deve contribuir significativamente para impulsionar o crescimento econômico da Rússia.

O UBS estima os gastos do país com os preparativos para o torneio em 12 bilhões de dólares, cerca de 0,7% do PIB (Produto Interno Bruto) russo.

Outra opinião

A revista do jornal “Aujourd’hui en France” publicou uma edição especial sobre a Copa do Mundo de Futebol. Com o título “Brasil, favorito dos especialistas para o Mundial”, a revista lança as apostas sobre um possível campeão para o Copa. A publicação consultou 19 jornalistas da imprensa internacional, em cinco continentes, para reunir o que considera como “prognósticos equilibrados e argumentados”.

A revista estabeleceu um sistema de pontuação e o Brasil lidera, com 45 pontos no placar. A Seleção Brasileira é seguida pela Espanha, com 26 pontos, e a Alemanha, com 20 pontos.

“O ranking pode parecer uma surpresa, se levarmos em conta o resultado da última Copa do Mundo, quando os brasileiros foram triturados pelos alemães durante o pesadelo do 7 a 1”, comenta a reportagem. No entanto, explica o texto, a Seleção de 2018 conta com um ataque talentoso, com Neymar e Coutinho, e uma impressionante defesa, graças a Marquinhos e Marcelo. “Além disso, fato raro, a Seleção tem um excelente goleiro, Alisson”, avalia a revista, afirmando que o Brasil tem “sede de vingança”.

Deixe seu comentário: