Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
33°
Fair

Notícias A Apple quer atualizar e levar mais aplicativos para o Windows

A Apple vem apostando cada vez mais em serviços. (Foto: Reprodução)

A Apple vem apostando cada vez mais em serviços e, para ter um número ainda maior de assinantes, é preciso que esteja presente no máximo de dispositivos que puder. Por isso, a companhia vem trabalhando em uma maneira de atualizar seus apps disponíveis para Windows, como o iTunes e o iCloud. Segundo o site Neowin, uma lista de oferta de empregos mostra que a Maçã vem procurando engenheiros para ajudá-la a realizar esse processo.

Tanto o iTunes quanto o iCloud possuem versões desktop para Windows que já estão ultrapassadas – ainda mais agora que a companhia decidiu desmembrar o iTunes em três aplicativos distintos no macOS: o Podcasts, o TV e o Music. Assim, se você for usuário do Windows e quiser assinar os streamings do Apple Music e do Apple TV+, vai precisar recorrer às versões web, já que o iTunes atualmente disponível no Windows 10 não comporta as novidades.

A lista de busca da Apple menciona que “a experiência com o UWP (Plataforma Universal do Windows) é uma grande vantagem”, o que deixa claro que a empresa quer profissionais que possam traduzir seus softwares para o sistema operacional da Microsoft. Aliás, esse pode ser um indício de que o Apple TV+, que atualmente não roda no Xbox One, pode finalmente dar as caras no console – o que seria uma vantagem, pois há uma grande parcela de espectadores que usam videogames para assistir a filmes e séries na TV.

Ainda não está claro quando os utilitários da Maçã devem chegar ao Windows, mas o fato de a Gigante de Cupertino estar investindo nesse update é uma boa notícia para os usuários de máquinas com o sistema da Microsoft.

Líder

A Apple é a líder inquestionável do mercado de dispositivos “audíveis” (fones de ouvido sem fio) e os AirPods meio que transformaram-se no produto “padrão” da categoria, assim como o iPod foi o reprodutor musical padrão nos seus áureos tempos. A vantagem da Maçã é enorme, mas isso não significa que ela pode dormir no ponto a concorrência, afinal, está se fortalecendo.

Tomemos como exemplo esses números publicados recentemente pela Counterpoint Research, referentes ao mercado global de audíveis no terceiro trimestre de 2019. A Apple continua com uma vantagem considerável perante as rivais, mas não tão grande quanto era um trimestre atrás.

A Maçã deteve, no último período, uma fatia de 45% do mercado, uma queda razoável em relação aos 53% conquistados no segundo trimestre de 2019. A principal responsável pela estagnação da Apple, além das suas próprias vendas, foi a Xiaomi: a chinesa cresceu consideravelmente nos últimos meses e conquistou o segundo lugar da categoria, com 9% de share – atribuídos, segundo a Counterpoint, ao grande sucesso dos fones AirDots na China e em mercados emergentes.

A Samsung, por sua vez, também foi vítima da ascensão da Xiaomi, caindo para o terceiro lugar do segmento com uma fatia de 6%. A JBL e a Beats (que, na métrica da Counterpoint, tem números separados da Apple –  okay) completaram o Top 5.

O mercado de audíveis como um todo vai muito bem, obrigado: foram 33 milhões de unidades vendidas no terceiro trimestre de 2019, um crescimento de 22% em relação ao período anterior, com a geração de US$4,1 bilhões em receita. Segundo a Counterpoint, o lançamento de novos produtos na parte superior do segmento (como os AirPods Pro, os Amazon Echo Buds e os Surface Earbuds, da Microsoft) tem estimulado um interesse renovado dos consumidores no segmento.

Considerando isso e as vendas/promoções de fim de ano, como a Black Friday e o Dia dos Solteiros chinês, a expectativa é que o mercado cresça ainda mais no trimestre atual; a expectativa da firma é que, no total, sejam vendidos 120 milhões de dispositivos audíveis ao longo de 2019.

 

tags: Apple

Voltar Todas de Notícias

Compartilhe esta notícia:

Abalada por disputas de poder, a maior reserva indígena do Rio Grande do Sul foi alvo de uma operação especial da Polícia Federal
Uma candidata aprovada em concurso público garantiu na Justiça gaúcha o direito à nomeação para o cargo
Deixe seu comentário
Pode te interessar