Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Comissão de Anistia analisa indenização a ex-presidente Dilma

Arábia Saudita hackea telefone do dono da Amazon

Investigação sobre as fotos íntimas do CEO da Amazon apontaram os sauditas como culpados. (Foto: Reprodução)

Gavin de Becker, contratado pelo CEO da Amazon, Jeff Bezos, para investigar o vazamento de fotos íntimas do executivo obtidas por um tabloide norte-americano, afirmou, em artigo para o site “The Daily Beast“, que sauditas tiveram acesso ao material que estava no telefone celular do empresário.

Além de CEO da Amazon, Jeff Bezos também é o dono do jornal “The Washington Post“, em que escrevia Jamal Khashoggi, um dissidente saudita que foi morto no consulado da Arábia Saudita em Istambul, na Turquia.

O consultor de Bezos afirma que o governo da Arábia Saudita tinha a intenção de prejudicar o empresário desde outubro, quando o jornal passou a cobrir o assassinato de Khashoggi.

Ele disse também que David Pecker, presidente da AMI – a empresa que controla o tabloide “The National Enquirer“, que publicou a história da relação de Bezos com a ex-apresentadora de TV Lauren Sanchez – era aliado do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman (conhecido como MBS).

“Nossos investigadores e vários especialistas concluíram com grande confiança que os sauditas tiveram acesso ao telefone de Bezos e conseguiram informações particulares. Hoje, não está claro se, ou até que ponto, a AMI estava ciente dos detalhes”, diz o artigo.

O investigador disse ter repassado o material obtido na investigação para oficiais federais e afirmou que não discutirá detalhes sobre o caso. Em fevereiro, Bezos declarou que o tabloide ameaçou publicar fotos íntimas trocadas por ele com Sanchez, classificando o episódio como um caso de “extorsão e chantagem”.

Homem mais rico do mundo

Jeff Bezos, segue como o homem mais rico do mundo, de acordo com a nova edição do ranking de bilionários da revista Forbes divulgada nesta terça-feira (5). Em relação ao último levantamento, a fortuna do empresário cresceu US$ 19 bilhões e alcançou US$ 131 bilhões (cerca de R$ 495 bilhões) .

A segunda colocação continua com o fundador da Microsoft, Bill Gates. O patrimônio dele subiu de US$ 90 bilhões para US$ 96,5 bilhões no período.

Em relação ao último ranking, a principal movimentação na classificação ocorreu com o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg. Ele ficou US$ 9 bilhões mais pobre e caiu da quinta para a oitava posição.

Em 2018, o Facebook perdeu valor de mercado por estar envolvido em um escândalo de vazamento de dados. A empresa também foi punida no mercado acionário por informar que a margem de lucro cairá pelos próximos anos.

Deixe seu comentário: