A Caixa Econômica Federal não irá mais emitir CPF. Saiba onde pedir o documento

O CPF pode ser solicitado gratuitamente pela internet, por meio do site da Receita. (Foto: Reprodução)

A Caixa Econômica Federal suspendeu a emissão de CPFs (Cadastros de Pessoas Físicas) em suas agências bancárias desde a semana passada. A informação foi divulgada pela Receita Federal, segundo a qual o convênio com a instituição financeira chegou ao fim.

A inscrição no CPF ainda pode ser feita, gratuitamente, pelo site www. idg.receita.fazenda.gov.br. Basta clicar no link “Inscrição CPF Internet”. O serviço está disponível 24 horas, sete dias por semana, inclusive em feriados.

O interessado deve preencher um formulário eletrônico, com os seguintes dados: nome, data de nascimento, número do título de eleitor, sexo, nome de mãe, naturalidade, endereço, telefone fixo e celular.

Ao fim do procedimento, são gerados, automaticamente, o número de CPF e o comprovante de inscrição. O requerente deve anotar o número ou imprimir o comprovante. O documento poderá ser impresso quantas vezes forem necessárias, sem ônus.

Quem precisa obter o documento também pode solicitar o serviço nas unidades de atendimento dos Correios ou nas agências do Banco do Brasil, ao custo de R$ 7.

O que é e para que serve o CPF

O CPF é um documento com uma numeração de 11 dígitos que serve para identificar os contribuintes – por exemplo, no Imposto de Renda, para abrir conta em banco ou solicitar cartão de crédito.

No Imposto de Renda 2018, a Receita Federal passou a exigir o CPF para os dependentes a partir de 8 anos. A partir de 2019, o documento será obrigatório para dependentes de qualquer idade.

Golpe

A Receita Federal alerta para a circulação de um e-mail falso em nome da instituição.

A mensagem enviada contém solicitação de cópias coloridas do RG (Documento de Identidade) ou da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), comprovante de residência e cartão bancário, sob a falsa alegação de que o suposto não envio da documentação poderá levar à suspensão do CPF do cidadão.

“A Receita Federal ressalta ainda que não autoriza nenhuma outra instituição a enviar e-mails em seu nome. Mensagens dessa natureza devem ser apagadas, pois podem conter vírus ou qualquer outro software malicioso, podendo causar danos ao computador do internauta. Além disso, a exposição de dados pessoais do cidadão pode facilitar o cometimento dos mais diversos tipos de fraudes’’, disse o comunicado.

Nos casos em que o CPF estiver “suspenso”, o cidadão poderá solicitar a regularização por meio da internet ou se dirigir a uma unidade de atendimento dos Correios ou Banco do Brasil. Outras informações podem ser obtidas no site da Receita Federal.

Deixe seu comentário: