Últimas Notícias > Notícias > Ciência > Astronautas novatos e veteranos viajarão nas primeiras naves privadas dos Estados Unidos

A Coreia do Sul abriu o seu mercado à carne suína brasileira

O país asiático é um dos mercados mais almejados pelos exportadores. (Foto: Banco de Dados)

A Coreia do Sul abriu o seu mercado à carne suína do Brasil, inicialmente para quatro estabelecimentos de Santa Catarina, anunciou nesta quinta-feira (17) o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Em abril, a pasta já havia comentado que as negociações entre os dois países estavam avançando e que um desfecho positivo era esperado para o curto prazo.

“Amanhecemos com uma ótima notícia: a Coreia do Sul abre seu mercado de carne suína para o Brasil. Mercado de 1,5 bilhão de dólares por ano! Inicialmente, as exportações sairão de Santa Catarina, já temos quatro estabelecimentos credenciados”, destacou Maggi, que está em missão à Ásia, no seu Twitter.

A Coreia do Sul é um dos mercados mais almejados pelos exportadores em razão do preço que paga pela carne. Já o Brasil é o maior exportador global de carne bovina e de frango e está entre os maiores fornecedores de carne suína.

Frango

Entrou em vigor na quarta-feira (16) a proibição de importação de carne de frango de 20 frigoríficos brasileiros – 12 deles pertencentes à BRF – pelos países que compõem a União Europeia. A decisão foi tomada pela Comissão Europeia em abril, após a terceira etapa da Operação Carne Fraca, deflagrada em março do ano passado pela Polícia Federal com o objetivo de investigar denúncias de fraudes cometidas por empresários e fiscais agropecuários federais.

A Operação Trapaça – terceira fase da Carne Fraca – teve como alvo a BRF, dona da Sadia e da Perdigão. O grupo é investigado por fraudar resultados de análises laboratoriais relacionados à contaminação pela bactéria Salmonella pullorum. Em nota, a BRF negou riscos para a saúde para população.

Com a limitação da exportação para o mercado europeu, a expectativa é de que aumente a oferta no mercado interno, o que tornará o frango mais barato momentaneamente para o consumidor brasileiro. Por outro lado, poderá resultar em demissões no setor. As vendas para a União Europeia já vinham apresentando quedas. De acordo com o Ministério da Agricultura, no ano passado, o Brasil exportou 201 mil toneladas para o bloco. Em 2007, chegou a exportar 417 mil toneladas. Em valores, no ano passado, foram exportados US$ 765 milhões em frango.

Projeção feita recentemente pela ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) indica que o embargo da União Europeia ao frango brasileiro deverá gerar, neste ano, perda de 30% sobre o total do produto exportado pelo Brasil para o bloco, que é composto por 28 países. A decisão de embargo terá impacto em 20 plantas exportadoras (unidades de produção) de nove empresas.

De acordo com a ABPA, o Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo. Ao longo de quatro décadas, o País embarcou mais de 60 milhões de toneladas de carne de frango em mais de 2,4 milhões de contêineres para 203 países.

Deixe seu comentário: