Últimas Notícias > Colunistas > Coalizão Bolsonaro

A Justiça condenou 16 integrantes de uma quadrilha especializada em roubo de cargas no Rio Grande do Sul

O bando atuava principalmente na BR-386. (Foto: Divulgação)

A Justiça gaúcha condenou pelo crime de organização criminosa 16 pessoas ligadas a uma quadrilha especializada em roubo e posterior venda de cargas que atuava principalmente na BR-386, no trecho entre Triunfo e Montenegro.

A sentença, proferida pela juíza Solange Moraes, da Vara Judicial da Comarca de Triunfo, estabelece penas que variam de oito a 12 anos de reclusão em regime fechado. Outros três acusados foram inocentados. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público.

Os condenados permanecerão presos, condição em que responderam ao processo, instaurado a partir dos resultados da Operação Versa, da Polícia Civil, em 2016. Por exercerem a liderança do bando, dois homens tiveram as suas penas agravadas: Jair Borges da Silva foi sentenciado a 12 anos e três meses e Gilmar dos Santos Silva a nove anos e sete meses.

Diego Machado da Silveira Oliveira, Edilson Bueno Pasturiza e Fernando da Fonseca Vasquez foram condenados a nove anos de reclusão. Já Alessandro Freitas da Silva, Christian Silva Rodrigues Júnior, Cleiton Bugalho, Diego Vinícius Silveira, Geovane Romário Dick, Lenon Henrique Garcia, Maique Sechous Beil, Márcio Raupp dos Santos, Raheid Paulo Seira Hassan, Rogério Ferreira Réus e Vinícius Sensato Tormem tiveram pena fixada em oito anos e três meses de reclusão.

Organização criminosa

A conclusão da magistrada, exposta na sentença de quase 120 páginas, é de que a quadrilha praticava os assaltos se valendo de armas de fogo e possuía um esquema bem estruturado para esconder o material roubado e recolocá-lo no mercado através de empresas de fachada usadas no despiste da polícia e em fraudes fiscais.

“Praticavam roubos em rodovias gaúchas, armazenavam e movimentavam as cargas em depósitos alugados para esse fim e, por fim, recolocavam-nas no mercado, comercializando-as por intermédio de empresas ‘araras’, tudo sendo controlado, anotado e documentado, ainda que informalmente”, detalhou a juíza Solange Moraes.

O modo de agir nos assaltos está comprovado por diversos registros de ocorrências, com “todas as vítimas apontando o emprego de armas pelos assaltantes”, observou ela. Cabe recurso da decisão.

Prisão

Um dos principais ladrões de cargas do Rio Grande do Sul foi preso pela Polícia Civil, no dia 6 do mês passado, no bairro Rubem Berta, na Zona Norte de Porto Alegre. Segundo o delegado Alexandre Luiz Fleck, o criminoso, que tem 20 anos, atuava em todo o Estado, com foco na Região Metropolitana de Porto Alegre.

O homem foi identificado como autor de diversos roubos. Em um mesmo dia, no mês de junho, ele roubou uma carga de cigarros em Cachoeirinha e uma loja de telefonia móvel na Capital. Os dois crimes ocorreram em um intervalo de menos de três horas. O bandido também é suspeito de participar de um roubo a uma transportadora em abril.

Deixe seu comentário: