Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Bolsonaro pode ser punido se foi beneficiado por apoio ilegal a empresários, dizem especialistas

A opção de resposta espontânea na pesquisa Datafolha mostra elevado índice de votos brancos ou nulos

Sem Lula, votos nulos e brancos “ganhariam” a eleição. (Foto: Freepik)

Sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os votos nulos e em branco ‘ganhariam a eleição’, de acordo com a pesquisa Datafolha, a primeira realizada após a prisão do petista, divulgada neste domingo. Nos seis cenários do levantamento sem o petista, a porcentagem de votos brancos e nulos varia entre 23% e 24%, o que é maior do que a intenção de voto no candidato em primeiro lugar. No cenário com Lula nas eleições presidenciais, os votos brancos e nulos variam de 13% a 14%. Entre os eleitores de Lula, um terço prefere votar em branco ou anular o voto, em vez de escolher outro nome, segundo a pesquisa.

Os diretores do Instituto Datafolha, Mauro Paulino e Alessandro Janoni, afirmaram que a pesquisa revelou que a prisão de Lula reduziu em quatro pontos percentuais as menções espontâneas ao petista, em relação à pesquisa de janeiro.

Contudo, o que chamou mais atenção dos diretores na pesquisa espontânea foi o elevado índice de votos brancos e nulos. A pesquisa espontânea refere-se às opções de respostas quando não são mostrados os nomes dos candidatos. “Um patamar inédito em pesquisas eleitorais a seis meses do pleito”, avaliam. Além disso, os demais candidatos não crescem e a maioria dos entrevistados não cita o nome dos presidenciáveis.

Paulino e Janoni apontaram que essa tendência se repete nas intenções de voto estimuladas, com a apresentação dos nomes dos candidatos. “Os brancos e nulos, sem Lula na disputa, são mais citados do que os líderes Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede)”, indicaram os diretores do Datafolha.

Outros nomes

Os dois nomes cotados para substituir Lula como candidato do PT – o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner – não atingem mais de 2% das intenções de voto na pesquisa. Os dois pré-candidatos de esquerda que ficaram ao lado de Lula antes da prisão – Manuela D’ Ávila (PCdoB) e Guilherme Boulos (PSol) também não vão além dos petistas na pesquisa.

A pré-candidata da Rede, Marina Silva, herdaria o maior percentual de votos de Lula (20%), em uma eleição sem o líder petista, seguida de Ciro Gomes, do PDT (15%). O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) ganharia 5% dos votos de Lula, Geraldo Alckmin (PSDB) 5%, Joaquim Barbosa (5%), Ávaro Dias (Podemos) 3%.
Apenas 3% dos eleitores de Lula disseram que votariam em Fernando Haddad (PT) e em Manuela D’ Ávila (PCdoB). Segundo o mesmo levantamento, porém, dois de cada três eleitores do ex-presidente dizem que votariam em um candidato indicado por ele.

Votariam em outros 7%, em branco ou nulo, 32%. Não souberam responder 3%.

A mais recente pesquisa Datafolha, aplicada entre os dias 11 e 13 deste mês, teve como base 4.194 entrevistas, realizadas em 227 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

A pesquisa está registrada no TSE sob número BR-08510/2018.

 

 

Deixe seu comentário: