Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
30°
Mostly Cloudy

Notícias Theatro São Pedro recebe neste fim de semana a versão da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre para a ópera “Orfeu e Eurídice”

Apresentação destaca obra do alemão Christoph Willibald Gluck (1714-1787). (Foto: Marcelo Nunes/Divulgação)

Uma das obras-primas sobre a mitologia grega no palco do Theatro São Pedro, a ópera “Orfeu e Eurídice”, do alemão Christoph Willibald Gluck (1714-1787), ganhou mais uma versão, desta vez a cargo da Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre).

O espetáculo estará no palco do Theatro São Pedro (Centro Histórico) neste fim de semana, com apresentações às 20h de sábado e às 18h de domingo. Mais informações pelo telefone (51) 3222-7387 ou no site www.ospa.org.br.

O diretor artístico e maestro titular Evandro Matté conduz a ópera, com a participação do Coro Sinfônico da Ospa e de bailarinos da Companhia Municipal de Dança de Porto Alegre, além de uma equipe de solistas especializados no gênero. A direção cênica está a cargo de William Pereira, que promete uma roupagem contemporânea. Os ingressos estão à venda no local, por valores entre R$ 60 e R$ 130.

Nos últimos três anos, a Ospa retomou a apresentação de óperas encenadas do repertório tradicional com as montagens de “Don Pasquale”, ‘Don Giovanni” e da opereta “A Viúva Alegre”.

Agora, a atração é uma das peças mais importantes da história operística. “Orfeu e Eurídice” é segmentada em três atos e retrata a mitologia grega com base na história de Orfeu, que desce ao inferno, onde nenhum ser vivo havia chegado, para pedir aos deuses ressuscitarem sua esposa, morta por uma cobra.

Revolucionária, a obra rompe com a tradição italiana ao reduzir o número de solistas a três, garantir protagonismo ao coro e lançar mão de árias simples mas de intenso apelo dramático.

“Faremos a montagem completa da ópera que mudou o curso da história da música”, entusiasma-se Matté. “Em ‘Orfeu e Eurídice’, a vida é resgatada através do poder mágico da música.”

Elenco

Para encenar a ópera, a sinfônica recebe um elenco de grande relevância no cenário nacional. Denise de Freitas, uma das mais renomadas mezzo-sopranos na atualidade, interpreta Orfeu.

Aclamada pela crítica especializada, a cantora é recordista de óperas no Theatro Municipal de São Paulo, representando os mais diversos papéis, sejam femininos ou masculinos. Já Eurídice é revivida pela soprano Carla Cottini, vencedora do Prêmio Revelação no 10º Concurso de Canto Maria Callas.

Para encenar o papel do Cupido, foi escalada Raquel Fortes, que carrega uma bagagem pelas principais orquestras do Estado, integrando também o primeiro Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo, onde apresentou Primeira Dama e Rainha da Noite da ópera “A Flauta Magica”, de Mozart.

Valores

Os ingressos custam R$ 60 (galeria), R$ 100 (camarote lateral), R$ 110 (camarote central) e R$ 130 (plateia), com descontos para seniores, estudantes, titulares de cartões conveniados, clientes do Banrisul, doadores de sangue, pessoas com deficiência e jovens de baixa renda. A compra pode ser feita na bilheteria do teatro, das 15h até o horário do início do espetáculo.

(Marcello Campos)

Voltar Todas de Notícias

Compartilhe esta notícia:

Pedra encontrada em Marte ganha nome dos Rolling Stones
Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre, recebe neste sábado mais uma feira de discos de vinil
Deixe seu comentário
Pode te interessar