Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Comissão de Anistia analisa indenização a ex-presidente Dilma

Vacinação contra gripe será ampliada a partir desta segunda

Foco da imunização passa a ser os idosos, índios e professores, entre outros grupos. (Foto: Agência Brasil)

Após quase duas semanas de imunização com foco nas crianças entre 6 meses e 6 anos de idade, gestantes e mães cujo parto ocorreu em até 45 dias, nesta segunda-feira (22) começa uma nova etapa da campanha nacional de vacinação contra a gripe. O público-alvo agora são os demais grupos prioritários da população.

Com isso, as salas reservadas para aplicação da dose em praticamente todo o Rio Grande do Sul já podem ser procuradas pelos idosos, índios, professores, trabalhadores da área da saúde e pessoas com comorbidades (duas ou mais doenças ao mesmo tempo) além detentos, funcionários do sistema carcerário e adolescentes que estejam cumprindo medida socioeducativa.

Iniciada oficialmente em Porto Alegre na última quarta-feira, a edição 2019 da campanha do Ministério da Saúde tem como meta, no Rio Grande do Sul, a aplicação de 3,7 milhões de doses. Em todo o País, o objetivo é vacinar 58,6 milhões de pessoas até o dia 31 de maio.

A doença

A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais, sendo que há anos com maior ou menor intensidade de circulação desse tipo de vírus e, consequentemente, maior ou menor número de casos e mortes.

No Brasil, devido a diferenças climáticas e geográficas, podem ocorrer diferentes intensidades de sazonalidade da influenza e em diferentes períodos nas unidades federadas. No caso específico do Amazonas, a circulação, de acordo com o ministério, segue o período sazonal da doença potencializado pelas chuvas e enchentes e consequente aglomeração de pessoas.

Até o final de março, antes do lançamento da campanha, foram registrados 255 casos de influenza em todo o Brasil, com 55 óbitos. O subtipo predominante no País tem sido o influenza A H1N1, com 162 casos e 41 óbitos. O Amazonas foi o Estado com mais casos registrados, com 118 casos – 33 deles fatais.

Já no que se refere ao Rio Grande do Sul, foram aplicadas 3,61 milhões de doses no ano passado e registrados 623 casos, com 98 mortes (mais que o dobro do verificado em 2017). Em 85% dos casos fatais, as vítimas pertenciam a grupos de risco e apenas 18% delas haviam sido imunizadas.

Índios

Localizada em Porto Alegre, a aldeia Van Kã foi escolhida para a solenidade de abertura do mês de vacinação dos povos indígenas contra a gripe, nesta terça-feira. A ação faz parte de uma estratégia da Opas (Organização Panamericana de Saúde) para ampliar a cobertura da imunização desse segmento populacional contra o vírus influenza.

A Região Metropolitana da Capital tem 26 aldeias inseridas na iniciativa, de um total de 140 em 65 municípios gaúchos, totalizando 23 mil indivíduos. A aplicação das doses, coordenada por equipes multidisciplinares, segue um calendário que pode variar conforme a cidade.

De acordo com o governo do Estado, o índice de vacinação no Rio Grande do Sul é considerado alta, chegando a atingir mais de 90% da população aldeada em anos anteriores.

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: