Últimas Notícias > Colunistas > De quem é o meio bilhão?

A Perdigão recolheu quase 500 toneladas de carne de frango por causa do risco de contaminação por salmonella

Medida inclui lotes do produto in natura que seriam vendidos aos mercados nacional e internacional. (Foto: Agência Brasil)

A companhia BRF, dona da marca Perdigão, anunciou o recolhimento de aproximadamente 164,7 toneladas de carne de frango in natura destinada ao mercado doméstico, como medida de precaução devido ao risco de contaminação pela bactéria salmonella.  De acordo com um comunicado divulgado nessa quarta-feira, a empresa também retirou outras 300 toneladas do produto que seriam destinadas a outros países.

Os produtos foram comercializados em 13 Estados: Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. A BRF também é dona da Sadia, mas os produtos dessa marca não foram atingidos pelo “recall”.

Dentre os itens que estão sendo recolhidos estão cortes congelados de frango, incluindo coxa e sobrecoxa sem osso, filé de peito, filezinho sassami, coração e meio peito sem osso e sem pele.

A empresa informou ainda que o frango recolhido saiu de sua unidade de Dourados (MS) e que “destacou um grupo de especialistas para investigar as origens deste único caso para garantir a adoção das medidas apropriadas para evitar recorrência”. A fábrica está funcionando em “regime especial”, ou seja, a produção só é liberada após submetida a teste.

Os produtos foram produzidos em alguns dias entre 30 de outubro e 12 de novembro de 2018. As mais de 400 toneladas que estão sendo recolhidas representam menos de 0,1% da produção mensal da companhia no Brasil. A empresa não informou que países foram incluídos no recall.

Ainda segundo a BRF, não há mais comercialização dos produtos. O recall visa a buscar itens que já foram comprados pelos consumidores. A empresa listou as especificações dos lotes para ajudar os clientes a identificá-los. Também preparou um serviço com perguntas e respostas sobre o recall disponível em https://www.brf-global.com.

O Procon/SP esclarece que o Código de Defesa do Consumidor estabelece que “o fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.

Os consumidores que já passaram por algum acidente causado pelo defeito apontado poderão solicitar, por meio do Judiciário, reparação por danos morais e patrimoniais, eventualmente sofridos, pontua a autarquia.

Caso o consumidor tenha adquirido produtos de um desses lotes deve entrar em contato com a BRF pelo telefone 0800 031 1315 ou pelo email recolhimento.sac@brf-br.com . O produto pode ser substituído ou devolvido. Também há a possibilidade de ressarcimento.

Risco à saúde

Segundo especialistas, nem todos os tipos da bactéria são prejudiciais à saúde humana. Os que representam riscos são a Salmonella typhimurium e a Salmonella enteritidis. A BRF realizou testes de laboratório e identificou a presença desta última em parte dos lotes que estão sendo alvo do recolhimento. Preventivamente, decidiu então retirar do mercado todos os lotes com a mesma data de fabricação.

Quando os alimentos contaminados por essa bactéria não são cozidos, assados ou fritos, o seu consumo podem causar infecção gastrointestinal. Os sintomas mais comuns são dor abdominal, diarreia e vômito.

Deixe seu comentário: