Últimas Notícias > Notícias > A “Primavera dos Museus” agita a programação cultural de Porto Alegre nesta semana

Polícia não acredita que advogado morto na Cidade Baixa tenha sido vítima de latrocínio

Câmeras de segurança da região mostraram parte da movimentação do criminoso. (Foto: Reprodução)

As investigações preliminares sobre a morte do advogado Gabriel Pontes Fonseca Pinto, 28 anos, baleado na tarde da última terça-feira no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, ainda não convenceram a Polícia Civil gaúcha sobre a hipótese de latrocínio. Isso porque uma série de detalhes fogem ao padrão desse tipo de crime.

De acordo com o delegado Paulo César Jardim, titular da 1ª Delegacia de Polícia da Capital, há várias linhas de investigação e o caso é complicado. “Já fomos ao local, temos algumas imagens e ouvimos testemunhas”, frisou. “As possibilidades são as mais variadas.”

Ele não descarta, por exemplo, que a vítima conhecesse o autor dos dois disparos. Antes do homicídio, cometido na esquina das ruas Lima e Silva e Alberto Torres (próximo ao centro comercial Nova Olaria), o criminoso teria retirado o capacete – ele havia chegado sozinho de motocicleta ao local – e conversado com o advogado.

Também chamou a atenção dos investigadores o fato de Gabriel ter recebido dois tiros no tórax quando já estava caído no chão, após ser derrubado (ele faleceria no final da tarde, no Hospital de Pronto-Socorro), e de o motoqueiro não ter levado os quase R$ 1 mil reais, celular e outros pertences do advogado.

No mapeamento feito até agora, já se sabe que, antes do incidente, a vítima havia deixado o Foro Central, no bairro Praia de Belas, e passado em uma agência lotérica. Entretanto, ainda não há confirmação para o relato de que Gabriel foi morto após passar por uma agência da Caixa Econômica Federal na esquina da rua Alberto Torres com a José do Patrocínio (a uma quadra do local do crime).

Nos perfis de Gabriel em redes sociais como o Facebook e o Instagram, diversos amigos e colegas deixaram mensagens elogiando o advogado e prestando solidariedade aos familiares da vítima. “Inteligente”, “sensível” e outros adjetivos pontuaram os textos. O sepultamento foi realizado por volta das 16h dessa quarta-feira, no cemitério São José, em Porto Alegre.

Nota de pesar da OAB-RS

Por meio de seu site, a seccional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) no Rio Grande do Sul, emitiu nota de pesar pela morte de Gabriel Pontes Fonseca Pinto, inscrito na entidade sob o número 112.074.

“Temos que seguir firmes contra a violência”, frisou o presidente da Ordem no Estado, Ricardo Breier. “Perdemos um jovem colega, que entra para as tristes estatísticas da insegurança pública. Vamos acompanhar a devida apuração dos fatos e esclarecimentos sobre esta morte violenta.”

(Marcello Campos)

 

Deixe seu comentário: