Últimas Notícias > Capa – Você viu > Casal de tartarugas se separa após 115 anos

A prisão do ex-presidente Michel Temer em ação da Operação Lava-Jato repercute na imprensa internacional

Segundo reportagem publicada no jornal inglês The Guardian, a prisão de Temer era esperada desde que ele deixou o governo. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Menos de uma hora após a publicação da notícia no Brasil, a prisão do ex-presidente Michel Temer nesta quinta-feira (21) já tinha destaque em vários veículos da imprensa internacional, com alertas de “breaking news” em sites como o do jornal britânico The Independent e da rede árabe Al Jazeera.

Segundo reportagem publicada no jornal inglês The Guardian, a prisão de Temer era esperada desde que ele deixou o governo, já que ele não teria mais proteções legais garantidas pelo cargo.

“Enquanto ele era presidente, Temer foi acusado de uma série de crimes, incluindo corrupção, extorsão e obstrução da justiça, mas conseguiu evitar procedimentos de impeachment graças a suas alianças no Congresso”, explica o jornal. A publicação ressalta ainda que o ex-presidente assumiu o poder após o impeachment de Dilma Rousseff, que o acusou de “conspirar” contra ela.

A rede BBC diz que a polícia brasileira tentava encontrar o ex-presidente desde a quarta-feira (20). A reportagem também destaca que Temer nega participação em qualquer irregularidade. Segundo o Guardian, a insatisfação com a corrupção no Brasil ajudou a impulsionar a candidatura de Jair Bolsonaro, que foi eleito no ano passado para assumir depois de Temer.

Mais repercussão

A rede de TV americana CNBC mostrou em sua página inicial a prisão. A agência de notícias Dow Jones Newswires enfatizou que a prisão pode mudar a percepção sobre a Lava-Jato. “A prisão de Temer chega em um momento chave na Lava-Jato, que já dura cinco anos e que muitos críticos dizem ter sido uma caça às bruxas com motivação política contra a esquerda brasileira e Lula”, disse a agência. O Wall Street Journal, que pertence ao mesmo grupo que a Dow, publicou a notícia em seu site.

O New York Times noticiou a prisão e enviou alerta pelo celular aos leitores. A reportagem diz que “Temer era um presidente profundamente impopular que usou grande parte de seu limitado capital político lidando com investigações criminais que o perseguiram nos últimos anos”. Já o concorrente Washington Post havia colocado a informação em destaque no site e chegou a enviar e-mail para clientes alertando sobre o acontecimento.

O maior jornal da Colômbia, El Tiempo, colocou a prisão de Temer como notícia principal em seu site. “É o segundo ex-presidente do País a ser detido por esse delito”, diz a chamada. El Comercio, do Peru, destacou que, enquanto presidente, Temer havia se livrado de denúncias. “O Ministério Público chegou a solicitar duas vezes a abertura de julgamentos de corrupção contra Temer, mas o Congresso se recusou a autorizar o processo. Todos os casos contra ele dependiam da perda do foro privilegiado.”

 

Deixe seu comentário: