Últimas Notícias > Notícias > Mundo > Mais um dia de protestos no Chile termina com quase 850 detidos e 46 feridos

A promoção do filho de Mourão no Banco do Brasil surpreendeu Bolsonaro e causou mal-estar entre ministros

Bolsonaro só teve conhecimento da promoção de Antonio quando a informação tornou-se pública. (Foto: Divulgação)

A promoção de Antonio Mourão, filho do vice Hamilton Mourão, cujos vencimentos no Banco do Brasil passam de R$ 12 mil para R$ 36,5 mil, não foi surpreendente apenas para a população em geral.

Jair Bolsonaro só teve conhecimento que Antonio será agora assessor especial do presidente do BB, Rubem Novaes, quando a informação tornou-se pública. Entre os ministros do governo, a nomeação causou mal-estar.

Mourão

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira (8), em sua conta no Twitter, que seu filho Antonio Hamilton Rossell Mourão foi nomeado para o cargo de assessor especial da Presidência do BB (Banco do Brasil) por ter “absoluta confiança” do novo presidente do banco, Rubens Novaes, além de ter prestado “excelentes serviços” e ter “conduta irrepreensível”. Mourão ainda disse que nos governos anteriores “honestidade e competência” não eram valorizadas.

Antonio foi nomeado para o cargo de assessor especial da Presidência do BB, trabalhando diretamente ao lado de Rubens Novaes. Segundo fontes, o salário do assessor ficará na faixa de R$ 35 mil, mais que o dobro do que ganhava anteriormente. A notícia foi revelada pela coluna Expresso da Revista Época.

A promoção surpreendeu o presidente Jair Bolsonaro, que só soube da notícia pela imprensa, e causou mal-estar entre ministros, de acordo com o colunista Lauro Jardim.

O filho do vice-presidente é funcionário de carreira do BB e está na instituição há 18 anos. Nos últimos 11 anos, fazia parte da diretoria de Agronegócios. Ele vai assessorar o presidente nesta área.

Rubem Novaes afirmou que o funcionário possui excelente formação e capacidade técnica. “Antônio é de minha absoluta confiança e foi escolhido para minha assessoria, e nela continuará, em função de sua competência. O que é de se estranhar é que não tenha, no passado, alcançado postos mais destacados no Banco”, disse Novaes por meio de nota divulgada pela assessoria de imprensa do banco. O texto divulgado também pontua que a nomeação atende aos critérios previstos em normas internas e no estatuto do Banco.

Posse

Em seu discurso em sua posse, na segunda-feira (7), o novo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, afirmou que uma das responsabilidades a frente do Banco é fazer com que os brasileiros voltem a se sentir honrados de ser brasileiro.

“Parecia que o povo brasileiro estava desesperançado. Nossos mais promissores jovens falando em deixar o País, empresários também. Hoje, temos uma responsabilidade enorme em reverter esse quadro e fazer com que os brasileiros voltem a se sentir honrados em serem brasileiros”, declarou.

Rubem Novaes disse que o país vive um momento importante, depois de ter passado por “grandes desgraças” como mensalão, petrolão e uma “recessão terrível”.

PhD em Economia pela Universidade de Chicago (Estados Unidos), Novaes foi diretor do BNDES, presidente do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e professor da Fundação Getúlio Vargas.