Últimas Notícias > Notícias > Reconhecido quando abastecia o carro em um posto de combustíveis, um ex-prefeito de Cruz Alta foi preso no Litoral Norte

Mesmo abaixo da meta do Ministério da Saúde, a vacinação contra a gripe no Rio Grande do Sul já supera o desempenho de 2018

Dados mais recentes apontam quase 580 mil imunizados no Estado. (Foto: Luciano Lanes/PMPA)

Os dados mais recentes do governo do Estado apontam que a cobertura de grupos prioritários pela vacinação contra a gripe no Rio Grande do Sul neste ano já atinge ao menos 84% do público prioritário, índice superior aos 81,1% verificados em 2018. Esse desempenho, porém, ainda está abaixo da meta de 90%, definida pelo Ministério da Saúde, sobretudo no que se refere a crianças, gestantes e doentes crônicos.

“Como a imunização continua ocorrendo em cidades onde existem estoques de doses, os índices deste ano devem se alterar”, ressalva o governo do Estado. A campanha começou no dia 10 de abril e desde o final de maio passou a abranger também os grupos não prioritários.

Mesmo no caso das crianças, com adesão de 77% em 2019, houve um avanço na procura pelas doses em comparação a 2018. No ano passado, apenas 67% das crianças foram vacinadas contra a gripe. Em virtude da baixa cobertura, esse público (juntamente com as gestantes) foi o primeiro a começar a vacinação neste ano, em 10 de abril.

Além disso, nesta edição a faixa etária foi ampliada em um ano, abrangendo todas as crianças maiores de 6 meses a menores de 6 anos. O aumento na procura e a ampliação na idade representaram um número de doses aplicadas 165 mil superior a 2018. Veja. abaixo, os percentuais comparativos entre esta edição da campanha e a do ano passado:

– Crianças: 66,9% em 2018 e 77,2% em 2019;

– Gestantes: 72% em 2018 e 75,7% em 2019;

– Puérperas: 93,2% em 2018 e 96,1% em 2019;

– Trabalhador da saúde: 83,1% em 2018 e 84,7% em 2019;

– Idosos: 93,9% em 2018 e 95,7% em 2019;

– Professores: 92,8% em 2018 e 109% em 2019;

– Doentes crônicos: 69,1% em 2018 e 73,6% em 2019;

– Total dos grupos prioritários: 81,1% em 2018 e 84,9% em 2019.

A base de dados é o sistema de informações do PNI (Programa Nacional de Imunizações) do Ministério da Saúde, até as 9h dessa quarta-feira.

Doses

Apesar da imunização liberada para a população em geral nos postos e salas de saúde desde o começo deste mês, no Rio Grande do Sul a recomendação é de que as secretarias municipais reservem doses para as crianças, gestantes e doentes crônicos. O objetivo é atingir os 90% de cobertura.

Até essa quarta-feira, ao menos 3,7 milhões de doses já haviam sido aplicadas em todo o Estado. Desse contingente, 404 mil indivíduos não se enquadram nos grupos prioritários.

Dos 497 municípios gaúchos, 307 ultrapassaram a meta de vacinar ao menos 90% dos grupos prioritários. Outras 125 cidades apresentam, até o momento, índice entre 80 e 90%. Os demais 65 ficaram abaixo de 80%. Em 2018, 289 cidades atingiram a meta da campanha, 143 ficaram entre 80 e 90% e 66 ficaram abaixo de 80%.

Doação de sangue

C

(Marcello Campos)