Últimas Notícias > Notícias > Economia > Os gastos de brasileiros no exterior registraram queda de quase 10% em maio

A vice de Ciro Gomes quer facilitar o porte de armas e é contra o aborto

A senadora Kátia Abreu (PDT-TO) disse que “todas as mulheres e homens do Brasil são contra o aborto”. (Foto: Roque de Sá/ Agência Senado)

A candidata a vice-presidente de Ciro Gomes (PDT), senadora Kátia Abreu (PDT-TO), defende a facilitação do porte de armas diante do atual cenário de violência, sobretudo no campo. Para ela, o ideal seria que o governo desarmasse os criminosos. “Sou contra a violência, eu sou a favor do diálogo, sou a favor da paz. Mas não acho justo que os bandidos se armem cada vez mais. O governo brasileiro não faz absolutamente nada e as pessoas se sentem impotentes”, disse em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

No seu gabinete, ainda tem pendurado o retrato da amiga Dilma Rousseff. “Não acabou o mandato dela ainda. Fica até trocar pelo do Ciro.”

Posições diferentes

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, afirmou, nesta quarta-feira (8) que tem posições diferentes de sua vice quanto à facilitação do porte de armas e sobre o aborto. “São posições diferentes, claro. Ora, mas você imagina que o vice pensa igual a mim? Qual o vice pensa igual ao titular na história do Brasil?”, disse Ciro, visivelmente irritado.

Segundo o candidato, no entanto, a Folha “fraudou a manchete como costuma fazer” e “só quer fazer intriga”. Ele se negou ainda a responder qual posição deverá prevalecer na chapa do PDT sobre os dois temas. Em entrevista ao jornal, Kátia Abreu disse não achar “justo alguém ficar armado até os dentes e a população totalmente abandonada”.

Eu sou [favorável à facilitação do porte de armas], não para ficar andando na rua, nos bares, restaurantes, trabalho. Mas se a pessoa se sentir segura”, afirmou a senadora. A vice na chapa de Ciro disse ainda que “todas as mulheres e homens do Brasil são contra o aborto” e fez questão de ressaltar ter votado contra a descriminalização do aborto em caso de anencefalia, que é autorizado pelo Supremo Tribunal Federal – estupro e caso de risco de vida da mãe são as outras duas situações em que o aborto é permitido no País.

Questionado se a senadora terá um papel de “vice decorativa” – termo usado pelo então vice Michel Temer em carta a Dilma Rousseff em 2015 –, Ciro disse que Kátia “vai representar o que ela é: uma mulher de grande valor”.

[Ela] ficou viúva aos 25 anos de idade, criou os filhos com maior dificuldade e sacrifício, virou uma líder do setor agrícola e pecuário do Brasil, foi a primeira mulher presidente do sindicato rural da história do Brasil e tem tido um comportamento no Congresso Nacional absolutamente respeitável”. Ciro falou a jornalistas após evento com presidenciáveis organizado pelo BTG Pactual, em São Paulo.