Últimas Notícias > Colunistas > Fatos históricos do dia 18 de setembro

Acusado de integrar esquema de doping, quase um terço dos atletas da Rússia está fora da Olimpíada do Rio

Alexey Korovashkov (E) foi um dos atletas banidos pelo esquema de doping da Rússia. (Foto: Reprodução)

A Fisa (Federação Internacional de Remo) anunciou nesta terça-feira (26) que decidiu suspender 22 dos 28 atletas russos inscritos na modalidade para os Jogos Olímpicos do Rio.

Três desses remadores já haviam sido punidos na segunda (25). Com a medida, quase um terço da delegação russa está impedida de participar da Rio-2016, ao se considerar os 68 integrantes da equipe de atletismo que já estavam suspensos.

Até aqui, 107 dos 384 (29%) atletas inscritos foram impedidos de competir após o COI (Comitê Olímpico Internacional) adotar restrições para a participação dos russos no evento.

Nesta terça, a UIPM (União Internacional de Pentatlo Moderno) também anunciou duas suspensões. Maxim Kustov e seu suplente, Ilia Frolov, foram mencionados no relatório que descrevia um esquema de doping estatal. na Rússia, divulgado pela Wada (Agência Mundial Antidoping) na semana passada.

Além do pentatlo e do remo, já foram punidos cinco competidores da canoagem, sete nadadores, dois halterofilistas e um lutador russo.

CANOAGEM

A Federação Internacional de Canoagem (ICF) anunciou também nesta terça que cinco atletas da delegação russa foram proibidos de participar dos Jogos após terem sido citados no esquema de doping apontado em relatório da Wada (Agência Mundial Anti-Doping).

Andrey Kraitor (C1 200m), Alexey Korovashkov (C2 1000m), cinco vezes campeão mundial e bronze em Londres-2012, Natalia Podolskaia (K1 200 m) e Yelena Aniushina (K2 500 m) foram os atletas excluídos.

Ao todo, já são 20 atletas da Rússia excluídos das Olimpíadas de 2016, desde domingo (24), quando o Comitê Olímpico Internacional (COI) delegou às federações internacionais de cada esporte que decidissem por banir ou não dos Jogos esportistas suspeitos de participar do esquema revelado pela WADA.

Toda a equipe de atletismo da Rússia, formada por 68 atletas, já havia sido proibida de competir pela Iaaf (Associação Internacional das Federações de Atletismo) antes da decisão do COI.

DECISÃO DO COI

O Comitê Olímpico Internacional decidiu que a Rússia não seria banida por completo da Rio-2016, apesar da WADA recomendar que nenhum atleta russo disputasse os Jogos. Segundo relatório de comissão independente da agência, houve participação ativa do governo do país no encobrimento de casos de doping.

De acordo com comunicado no site do COI, a decisão foi guiada “pela regra fundamental do regulamento olímpico de proteger atletas limpos e a integridade do esporte”.

Na decisão, o Comitê Olímpico definiu, também, uma série de condições para que os russos disputem os Jogos. Para ser elegível, um atleta, por exemplo, nunca pode ter sofrido nenhuma suspensão por doping anteriormente, mesmo que tenha cumprido punição.

O comitê ainda disse que não teria “tempo suficiente para realizar audiências com os atletas, autoridades e organizações afetados”.

A WADA declarou estar desapontada com a decisão do Comitê Olímpico Internacional de não banir por completo a Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio.

“A Wada está desapontada que o COI não seguiu as recomendações do nosso Comitê Executivo, que as tomou baseado nas descobertas feitas pela investigação liderada por Richard McLaren, o que teria garantido uma abordagem direta, forte e harmoniosa”, criticou Craig Reedie, presidente da agência. (Folhapress)

Deixe seu comentário: