Últimas Notícias > Colunistas > Da arte da espada

Aeroporto de Londres é reaberto após a retirada de bomba da Segunda Guerra Mundial

O aeroporto London City, que ficou fechado após descoberta de bomba da Segunda Guerra. (Foto: Reprodução)

O aeroporto London  City, no leste da capital britânica, voltou a funcionar nesta terça-feira (13) depois que uma bomba da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) não explodida foi retirada da região. Durante toda a segunda-feira o aeroporto permaneceu fechado. O artefato de cerca de 500 quilos foi encontrado durante a realização de obras perto de um cais do rio Tâmisa, localizado próximo à pista do aeroporto.

Um perímetro de 214 metros foi esvaziado por precaução enquanto a bomba era retirada – ela estava dentro da água, a 15 metros de profundidade.  O London City atende a companhias que realizam voos curtos e também jatos e helicópteros.

Ataque nazista

Em 1940, aviões da Alemanha nazista deram início a uma operação de bombardeios conhecida como a “Blitz de Londres”, que durou oito meses. O ataque começou às margens do Tâmisa, com bombas sendo despejadas no porto da cidade.

Londres já havia sido atacada anteriormente, mas os bombardeios registrados a partir dia 7 de setembro de 1940 são considerados a primeira operação concentrada. Ela foi ordenada pelo líder nazista Adolf Hitler em retaliação ao ataque da força aérea britânica em Berlim, realizado dias antes.

Registros históricos indicam que Londres ficou 57 dias consecutivos, entre setembro e novembro, sob ataque. A ofensiva alemã continuou, ainda que não diariamente, por mais seis meses até maio de 1941. Nem todas as bombas, contudo, explodiram, e muitas continuam sendo descobertas em Londres, em especial durante obras. Apesar de terem quase 80 anos, esses artefatos podem ter preservado seu poder de destruição.

Por isso, as operações para desativar essas relíquias de guerra mobilizam a polícia e as forças armadas britânicas. Em março do ano passado, um artefato foi encontrado em uma região residencial de Londres. A área foi isolada e 80 moradores, levados para um hotel. No domingo, a polícia montou isolou um perímetro a até 214 metros da área onde a bomba foi localizada no aeroporto. Moradores da área precisaram sair de casa.

“Enquanto nos esforçamos para avançar com a operação o mais rápido possível e minimizar a interrupção, é importante que todas as providências e precauções necessárias sejam tomadas para assegurar que tudo seja tratado com segurança”, disse a polícia londrina.

Passageiros usaram as redes sociais para expressar confusão e frustração com o fechamento do aeroporto. Eles estão sendo orientados a procurar as companhias aéreas para remarcar os voos. Além do City, Londres é atendida comercialmente por pelo menos outros quatro aeroportos: Heathrow, Gatwick, Stansted e Luton.

No ano passado, mais de 4,5 milhões de pessoas usaram o City, que está sendo ampliado. A obra está orçada em R$ 1,8 bilhão e, depois da expansão, a expectativa é que o aeroporto atenda mais 2 milhões de passageiros e receba 30 mil voos extras por ano.

Deixe seu comentário: