Últimas Notícias > Atividades Empresariais > Espetáculo Illumination terá narrativa de Cid Moreira no 34º Natal Luz de Gramado

Passageiros ficam isolados em contêiner por duas horas no Aeroporto Salgado Filho

Uma denúncia em grupo foi efetivada à Ouvidoria do aeroporto. (Foto: Reprodução/Facebook Aeroporto Salgado Filho)

Por volta de 80 passageiros foram surpreendidos com a suspensão das operações no Aeroporto Internacional Salgado Filho devido aos transtornos causados pela chuva, em Porto Alegre, durante a madrugada desta terça-feira (17). Por medidas de segurança, foi necessário impedir que pessoas circulassem pela pista de pousos e decolagens por risco dos raios. Por este motivo, passageiros que chegaram do Rio de Janeiro em um voo da companhia Azul foram impedidos de desembarcar e seguirem para o prédio de desembarque usando o ônibus que faria o deslocamento da aeronave, pousado na pista.

Após saírem do avião, os passageiros foram conduzidos até um contêiner, sem estrutura como banheiros, por exemplo. Eles permaneceram na estrutura da 1h20min às 3h30min, até que o piloto do avião permitiu que eles retornassem ao avião. Neste período, as bagagens ficaram paradas na chuva. Os pertences ficaram todos molhados.

O grupo de passageiros relatou que algumas pessoas haviam passado por cirurgia recentemente e outros eram cardíacos, tornando a situação mais complicada. Uma denúncia em grupo foi efetivada à Ouvidoria do aeroporto.

Confira a nota divulgada pela Fraport, operadora do aeroporto

A Fraport Brasil – Porto Alegre informa que, devido à incidência de raios nas proximidades do sítio aeroportuário em 17/9, as operações de solo foram suspensas no aeroporto das 1h30 às 3h15. Um voo da companhia aérea Azul pousou às 1h18 e chegou à posição para desembarque às 1h24. Os primeiros passageiros desembarcaram e ingressaram no ônibus que faria o transporte destes até o Terminal de Passageiros. Quando a operação de solo foi suspensa, os demais passageiros que se encontravam na estrutura acoplada à aeronave para o desembarque não puderam realizar o desembarque para o ônibus por questões de segurança.

Por decisão do comandante responsável pelo voo, os passageiros não puderam retornar à aeronave, permanecendo na estrutura até que a situação fosse normalizada.

Sobre as bagagens, esclarecemos que a companhia aérea é responsável por elas desde quando são despachadas na origem até sua restituição no destino. Portanto, para quaisquer esclarecimentos sobre este tema, pedimos entrar em contato com a companhia aérea.