Últimas Notícias > Colunistas > Grito sindical

Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow relatam assédios sexuais do produtor Harvey Weinstein

Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow acusaram produtor. (Foto: Reprodução)

As atrizes Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie revelaram nesta terça-feira (10), ao The New York Times”, que também foram vítimas dos assédios do produtor Harvey Weinstein. No domingo (8), tanto o NYT quanto a revista The New Yorker publicaram artigos que detalham o histórico abusivo do figurão da indústria cinematográfica.

“Eu tive uma experiência ruim com Harvey Weinstein na minha juventude e, como resultado, escolhi nunca mais trabalhar com ele de novo e avisar outras pessoas que viessem a fazê-lo”, disse Angelina por e-mail. Segundo ela, o caso ocorreu durante o lançamento de “Corações Apaixonados” (1998), estrelado pela atriz e distribuído pela Miramax, empresa de Weinstein. “Este comportamento contra mulheres é inaceitável em qualquer campo e em qualquer país.”

Gwyneth, por sua vez, fez um relato ainda mais detalhado ao jornal. O executivo a contratou aos 22 anos para fazer o papel principal em “Emma” (1996), adaptação de Jane Austen. A atriz contou que Weinstein a convidou para seu quarto no hotel Peninsula Beverly Hills para uma “reunião de trabalho” que resultou no produtor “passando a mão nela e sugerindo que eles fossem para o quarto para massagens”.

“Eu era uma criança, era contratada, e fiquei paralisada”, disse Gwyneth. Na época, ela namorava o ator Brad Pitt, e relatou a situação para ele. Pitt confrontou Weinstein sobre o assédio. Logo depois, Gwyneth recebeu ameaças do figurão e foi avisada de que não deveria relatar o ocorrido para ninguém. Pitt confirmou a denúncia ao NYT.

“Eu pensei que ele ia me demitir. Ele gritava comigo por muito tempo. Foi brutal”, disse a atriz.

Ela voltaria a trabalhar em um filme distribuído pela Miramax pouco depois: “Shakespeare Apaixonado”, que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz em 1999. A vitória, segundo Gwyneth, apenas a deixou mais nervosa para denunciar o caso de assédio. “Agora, estamos em uma época em que as mulheres precisam mandar uma mensagem clara que isso acabou. Essa maneira de tratar as mulheres acaba agora”, concluiu.

Reações

Após os casos de assédio virem à tona, Weinstein foi demitido de sua própria empresa. O caso está sendo repercutido por várias celebridades da indústria americana, bem como em sites especializados dos EUA. Veja o que alguns dos famosos estão falando sobre o caso.

“Estou triste e com raiva que um homem com quem eu trabalhei tenha usado sua posição de poder para intimidar sexualmente, constranger e manipular tantas mulheres durante décadas. As acusações de assédio (…) me deixam enojado. Isso é completamente inaceitável, e eu me pergunto o que posso fazer para ter certeza que isso não aconteça com outras pessoas. Nós precisamos fazer mais para proteger nossas irmãs, amigas, colegas e filhas. Nós devemos apoiar aquelas que vêm a público, condenar este tipo de comportamento quando vemos acontecer, e ajudar a termos mais mulheres em posições de poder”, disse Ben Affleck, que trabalhou com Weinstein em filmes como “Gênio Indomável” (1997).

“Harvey Weinstein me deu meu primeiro grande papel como ator em ‘Um Drink no Inferno’ (1996), ele me deu minha primeira oportunidade como diretor em ‘Confissões de uma Mente Perigosa’ (2002). Nós jantamos juntos, estivemos juntos em locações, brigamos, mas posso te dizer que nunca vi esse comportamento”, declarou George Clooney.

“Eu fiquei muito perturbada quando ouvi sobre o comportamento de Harvey”, disse Jennifer Lawrence à Variety. “Trabalhei com ele há cinco anos e não presenciei nenhuma forma de assédio. Também nunca ouvi falar sobre essas alegações. Esse tipo de comportamento é inaceitável e absurdamente triste”.

“É muito chocante e, ao mesmo tempo, é necessário coragem para expor alguns dos produtores mais reconhecidos e importantes do mercado”, afirmou Kate Winslet à Variety. “Nenhuma mulher deveria ser tratada como Weinstein tratou essas jovens atrizes, talentosas e vulneráveis. Essa conduta é inaceitável em qualquer ambiente de trabalho.”

“Esse é um microcosmo recorrente em Hollywood desde sempre, mas o assédio acontece com mulheres em qualquer ambiente de trabalho”, escreveu Lena Dunham, criadora de “Girls” ao Washington Post. “Por que então a indústria masculina continua calada, enquanto uma de nós esta experimentando o gosto amargo da humilhação?.”

“Estou horrorizada”, disse Judi Dench, que é amiga de Weinstein ao Entertainment Weekly. “Não há dúvidas que Weinstein deu suporte a minha carreira nos últimos 20 anos, e desconhecia todas essas acusações, que são, obviamente, muito tristes. Agradeço a todas as vítimas por falarem sobre esse caso, e ofereço meu apoio.” A atriz venceu o Oscar de melhor atriz coadjuvante por “Shakespeare Apaixonado”.

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.