Últimas Notícias > Capa – Magazine > Em cartazes misteriosos, Anitta promete trazer o amor de volta em sete dias

Após a paralisação dos caminhoneiros, o abastecimento no País está “completamente normalizado”, disse o governo

Alimentos já chegam aos centros de distribuição normalmente. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Após reunião neste domingo (3) do grupo de monitoramento criado para acompanhar a mobilização de caminhoneiros pelo País, o ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Sergio Etchegoyen, afirmou que, para o governo, o abastecimento está “completamente normalizado” e que o quadro atual é de normalidade.

O encontro durou cerca de 40 minutos e teve a participação do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, além do secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, do chefe do Estado Maior das Forças Armadas, Ademir Sobrinho, e dos secretários-executivos da Casa Civil, Daniel Sigelmann, dos Transportes, Herbert Drummond, do Ministério dos Transportes, Herbert Drummond, da Justiça, Claudenir Brito, e do Ministério de Minas e Energia, Márcio Félix.

Foi o segundo dia em que a reunião foi feita sem a participação de outros ministros que compõem o grupo, como Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Carlos Marun, da Secretaria de Governo. Na noite de quinta-feira, 31, Padilha disse que o governo apostava na desmobilização do movimento, com o fim dos bloqueios das estradas federais.

Diante do cenário atual, a GLO (Garantia da Lei e da Ordem), iniciada no dia 25 de maio, não será prorrogada nesta segunda-feira (4), quando termina sua vigência.

Pela GLO, militares podem atuar provisoriamente com poder de polícia. O presidente, Michel Temer, editou decreto estabelecendo a Garantia da Lei e da Ordem para permitir que as Forças Armadas agissem para desmobilizar os caminhoneiros que pararam em rodovias pelo País, provocando uma crise de abastecimento em todo o Brasil.

A decisão em usar Forças Armadas para desbloquear as rodovias ocorreu depois de os caminhoneiros não terem cumprido acordo firmado com o Executivo, que suspendia os atos em 15 dias em troca de ações que diminuem o preço do diesel.

“Comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas. E solicitei aos senhores governadores que façam o mesmo”, disse o presidente em pronunciamento no fim de maio, quando acionou as Forças Armadas. “O governo terá coragem de exercer sua autoridade em defesa do povo brasileiro”, completou.

“Nossas reuniões continuam, as avaliações continuam, os acompanhamentos continuam até que todos os aspectos da questão estejam devidamente equacionados, sanados, resolvidos, o que inclui as questões dos acordos firmados e dos compromissos assumidos por cada parte. Estamos 24 horas no ar zelando para que todos os compromissos assumidos pelo governo estejam devidamente cumpridos”, afirmou Etchegoyen.

O general disse que o governo está avaliando uma eventual nova mobilização de caminhoneiros nesta segunda-feira.

“O governo não lida com boatos, mentiras, inverdades, imprecisões. A verdade é há um movimento na mídia e há um acompanhamento nosso. Não temos nenhuma indicação de que isso mude a atitude do governo e de que mude a nossa preocupação. Nossa avaliação é que estamos num quadro de normalidade e que não tende a ser modificado”, disse o ministro do GSI.

Uma nova reunião de monitoramento está marcada para a manhã desta segunda-feira.