Últimas Notícias > Notícias > Mundo > O Uruguai tem falta de maconha: a produção não é suficiente para abastecer os mais de 47 mil consumidores registrados

As compras de Natal dos norte-americanos levaram Donald Trump a adiar um novo imposto sobre produtos vindos da China

Dificuldades no comércio internacional potencializadas por Trump protecionista têm a ver com este momento. (Foto: The White House)

Os Estados Unidos adiaram até 15 de dezembro a imposição de novas tarifas de 10% sobre os eletrônicos chineses, mas prosseguirão com novas tarifas que entrarão em vigor a partir de 1º de setembro sobre US$ 300 bilhões (R$ 1, 1 trilhão) em produtos da China, anunciou o governo na terça-feira (13). As informações são agência de notícias AFP.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou a repórteres que o governo decidiu adiar as tarifas para não prejudicar as compras dos americanos antes do Natal.

O adiamento diz respeito a telefones celulares, notebooks, monitores de computador, consoles de videogame e alguns brinquedos, calçados e roupas, afirmou o representante comercial dos Estados Unidos em um comunicado.

Enquanto Washington e Pequim trabalham para resolver a escalada da guerra comercial, o representante comercial Robert Lighthizer conversou com autoridades comerciais chinesas nesta terça-feira e tem outra conversa planejada para daqui duas semanas.

A ação do gabinete foi publicada minutos após o ministro do Comércio da China ter dito que o vice-Premiê Liu He conduziu uma ligação telefônica com autoridades comerciais americanas.

Investidores em tecnologia comemoraram a notícia das isenções, gerando uma alta de 2,8% em um índice de estoques de chips, enquanto as ações da Apple subiram mais de 5%.

O presidente Donald Trump disse em 1º de agosto que imporá uma tarifa de 10% sobre 300 bilhões de dólares de produtos chineses, culpando a China por não cumprir as promessas de comprar mais produtos agrícolas americanos.

A lista de produtos que não serão afetados pelas tarifas até dezembro inclui babás eletrônicas, carrinhos de bebê, micro-ondas, câmeras, campainhas, instrumentos musicais, embalagem para ketchup, fraldas, fogos de artifício, sacos de dormir, varas de pesca, rolos de pintura e alimentos.

O gabinete seguirá com a imposição das tarifas a partir de 1° de setembro para produtos como animais vivos, lácteos, bolas de golfe, lentes de contato, motores de motocicletas, baterias de lítio, sopradores de neve e outros tipos de ferro.

Tropas na fronteira

Donald Trump afirmou na terça-feira que recebeu informações de inteligência que apontam que o governo da China está movimentando tropas para a fronteira com Hong Kong, aumentando o temor de uma possível intervenção chinesa para conter as manifestações no território.

Há quatro meses, Hong Kong, ex-colônia britânica, vem sendo palco de protestos pró-democracia que vêm desafiando o regime de Pequim.

“Nossa inteligência nos informou que o governo chinês está movendo tropas para a fronteira com Hong Kong. Todos devem permanecer calmos e a salvo!”, escreveu Trump no Twitter.

Ele também retuitou um vídeo que mostra dezenas de caminhões militares em uma via pública.

A descrição aponta que a movimentação foi registrada em Shenzhen, cidade chinesa na divisa com Hong Kong, que ainda mantém status administrativo e econômico separado da China.

Deixe seu comentário: