Últimas Notícias > Notícias > Brasil > O terceiro jogo do Brasil no Mundial vai encurtar a semana de trabalho no Congresso

Até agosto, 44 milhões de livros chegarão às escolas públicas do País

Livros chegarão via Correios. (Foto: Reprodução)

Até agosto, 44 milhões de livros chegarão às escolas públicas de todo o País, segundo estimativas dos Correios que estão responsáveis pelas entregas. A distribuição do material, que é parte do PNLD (Programa Nacional do Livro Didático), começou a ser feita nesta quarta-feira (13). Essa primeira remessa representa 30% do volume total previsto para atender a demanda do próximo ano.

A expectativa do Ministério da Educação é a de que, antes do início do ano letivo de 2019, 151 milhões de livros cheguem às escolas públicas, beneficiando 35 milhões de alunos. Enquanto nas cidades, a entrega é feita diretamente nas unidades escolares, na zona rural, os livros chegam nas prefeituras e secretarias de educação para depois serem distribuídos.

O modelo atual começou a funcionar em 2017, quando dois antigos programas do governo tiveram atividade unificadas no PNLD. Os livros didáticos são distribuídos de acordo com as projeções do censo escolar realizado dois anos antes da edição do programa.

Dados do Enem disponíveis

Para atender a demanda por informações específicas sobre o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, tornou disponível em seu portal os microdados referentes à edição de 2017 do exame. O material permite acessar informações específicas, gerando análises mais aprofundadas por parte de pesquisadores, jornalistas e gestores públicos.

Os microdados do Enem 2017 englobam provas, gabaritos, informações sobre os itens, notas e o questionário respondido pelos participantes inscritos. Com exceção das informações referentes aos itens, que se encontram em uma planilha específica, as demais podem ser acessadas no arquivo “Microdados_Enem_2017”. Também faz parte dos microdados do Enem 2017 um dicionário sobre as variáveis contidas em cada base.

Como usar – Os dados estão dispostos no formato “.csv”, que contém valores separados por delimitador com ponto e vírgula. Já os inputs para a leitura desses arquivos foram elaborados com softwares SAS, SPSS e R. Os inputs trazem a possibilidade de carregar os rótulos juntamente com os dados, o que facilita o seu manuseio pelo usuário, ao tornar sua utilização mais intuitiva e imediata.

Isso não dispensa a consulta ao dicionário de variáveis e às provas para obter uma compreensão mais completa da organização do banco de dados e da própria estrutura dos instrumentos utilizados. Se o usuário desejar, poderá não usar os inputs para abrir as bases, pois o formato “.csv” também foi adotado por facilitar a leitura dos arquivos, independentemente do software estatístico utilizado.

Para facilitar a utilização dos resultados, o arquivo principal contém os questionários respondidos pelos participantes, congregando em um único arquivo as informações. O dicionário também foi está disponível em formato “.ods”, para atender a política de dados abertos. Há ainda a uma base contendo informações sobre as provas na qual, para cada tipo de prova, foram carregadas as informações de posição do item consultado – habilidade, cor, área de conhecimento e gabarito. Outra novidade da edição é a inclusão do Manual de Redação do Enem 2017 para melhor auxiliar os usuários.

Deixe seu comentário: