Últimas Notícias > Colunistas > Armando Burd > Troca de personagens

Atentado contra Bolsonaro: há cinco meses sem solução pela Polícia Federal

Foi no dia 6 de setembro do ano passado o atentado que quase tirou a vida do então candidato presidencial Jair Bolsonaro. Neste domingo, diante da falta de uma resposta definitiva da Polícia Federal, que investiga o caso, da cama do hospital ele cobrou a PF e pediu solução para o atentado que sofreu: “Espero que a nossa querida Polícia Federal, a Polícia que nos orgulha a todos, tenha uma solução para o nosso caso nas próximas semanas”.

Liberação dos R$ 157 milhões

Na sua conta do Twitter, o governador gaúcho Eduardo Leite anunciou: “Min. Barroso, STF, deferiu liminar para suspender sequestros de valores pelo TJ/RS nas contas do Estado para pagamento de precatórios. Registro nosso agradecimento pela sensibilidade e agilidade do Ministro! Com isso, mantemos o calendário de pagamento de salários dos servidores”.

Sequestro de valores

Não é só o governo do Rio Grande do Sul que passou a ter valores sequestrados das contas por ordem judicial. Além de Uruguaiana, outros municípios sofreram essa restrição, por dívidas com o pagamento de precatórios. Dispondo de arsenal jurídico mais modesto, muitos prefeitos não conseguiram reverter as decisões judiciais.

Preço do combustível baixará a partir do dia 16

A boa notícia vem do Palácio Piratini: a partir do dia 16 de fevereiro, no Estado, a entrada em vigor dos novos preços de combustíveis, para fins de tributação do ICMS. Estes valores resultam de pesquisa realizada pela Receita Estadual e sinalizam nova tendência de queda nos preços da gasolina e do gás de cozinha.

Onyx fora dessa

Novo fogo-amigo tenta associar o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ao plano de instalação da chamada CPI da Toga, no Senado. Ele rechaça qualquer vínculo com os movimentos do senador Delegado Alessandro Vieira.

General Jesus Correa no Incra

Ao anunciar o general João Carlos Jesus Correa como novo presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Bolsonaro manteve a sintonia dentro do órgão.

“A farra do MST no Incra acabou”

Esta afinidade ficou evidente com a declaração do secretário especial de Assuntos Fundiários, Luiz Antônio Nabhan Garcia: “Existe uma obrigatoriedade de mudar o Incra e tirar o seu viés ideológico e político, que tornou a instituição inviável. A farra dos sem-terra lá no Incra, pode ter certeza que acabou. Não haverá mais qualquer interferência do MST na instituição”.

Deixe seu comentário: