Últimas Notícias > Notícias > Brasil > A inflação do aluguel avançou na segunda prévia de junho

Australianos encontram na praia uma garrafa jogada no mar por pesquisadores alemães no século 19, um recorde

O casal australiano Kym e Tonya Illman pensou que a mensagem fosse um cigarro enrolado. (Foto: Reprodução)

Uma garrafa com uma mensagem, lançada ao mar há 132 anos por um navio alemão, foi encontrada por um grupo de amigos em uma praia australiana, em janeiro passado. De formato retangular, o objeto estava semi-interrado na areia de uma praia de Wedge Island, 160 quilômetros ao norte de Perth, na Austrália, indicou o Western Australia Museum (WAM), o organismo público que administra os museus do estado da Austrália Ocidental.

Trata-se da mais antiga mensagem já descoberta em uma garrafa ao mar, o que o grupo de amigos – entre eles a mão do piloto de Fórmula 1 Daniel Ricciardo – estava longe de imaginar.

Após seis semanas de investigação, determinou-se que a garrafa foi lançada em 12 de junho de 1886 no oceano Índico do navio alemão “Paula”, no âmbito de uma experiência científica para estudar as correntes marítimas e melhorar as rotas nos mares e oceanos.

“Era uma linda garrafa antiga. Eu a peguei pensando que seria um lindo enfeite para minha biblioteca”, declarou Tonya Illman, a pessoa que a encontrou, citada no comunicado do WAM.

“A namorada do meu filho descobriu a mensagem quando tirava a areia da garrafa. A mensagem estava úmida, enrolada de um jeito bem apertado”, descreveu Tonya, ainda segundo a nota.

Os amigos tiraram a mensagem, abriram-na e descobriram um texto impresso em alemão, com uma frase manuscrita, quase apagada.

Kym Illman, o marido de Tonya, fez uma busca na Internet que lhe permitiu determinar que a mensagem fazia parte de uma campanha do Deutsche Seewarte, o Observatório Naval Alemão. Entre 1864 e 1933, o órgão lançou milhares de garrafas ao mar com a mesma mensagem, indicou o WAM.

A mensagem pedia à pessoa que encontrasse o objeto que o levasse ao consulado alemão, ou o enviasse para o Observatório com sede em Hamburgo.

Depois de receber a informação dos Illman, o WAM encontrou em contato com pesquisadores holandeses e alemães.
“Incrivelmente, a busca em arquivos na Alemanha permitiu encontrar o diário de bordo do navio ‘Paula’, no qual constava uma nota manuscrita do capitão dizendo que, em 12 de junho de 1886, havia lançado uma garrafa ao mar”, relatou o arqueólogo Ross Anderson no comunicado do WAM.

“A data e as coordenadas correspondem exatamente às da mensagem”, garantiu Anderson, acrescentando que perícias grafológicas confirmaram que a escrita da mensagem e a do caderno eram as mesmas.

A Agência Federal Marítima e Hidrográfica da Alemanha autenticou a descoberta, indicou o WAM, informando que a garrafa será exibida no Museu Marítimo de Freemantle.

Os pesquisadores acreditam que a garrafa tenha chegado ao litoral australiano alguns anos depois de ter sido lançada ao mar, ficando enterrada sob uma camada de areia molhada. Isso explicaria seu estado de conservação.

Provavelmente, uma tempestade, ou outro fenômeno meteorológico, fizeram-na voltar à superfície, sugeriram.

Das milhares de garrafas lançadas ao mar pelos navios alemães em 69 anos, apenas 662 foram recuperadas.

Esta última garrafa encontrada na Austrália em janeiro foi registrada como a de número 663. A anterior havia sido descoberta em 7 de janeiro de 1934, na Dinamarca.

Trata-se da mais antiga mensagem dentro de uma garrafa ao mar já encontrada. Até hoje, essa honra cabia a uma lançada no mar do Norte, em 1906, por um biólogo marinho. Sua garrafa foi descoberta na Alemanha 108 anos e 138 dias depois.

Deixe seu comentário: