Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Fair

Brasil Bolada de 120 milhões de reais da Mega-Sena que irá para um grupo de funcionários do PT na Câmara dos Deputados viralizou e acirrou os ânimos entre políticos do partido e governistas

Grupo de 49 integrantes da assessoria do PT levou uma bolada de R$ 120 milhões na Mega-Sena. (Foto: Lula Marques/Agência PT)

Um grupo de 49 integrantes da assessoria do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados levou uma bolada de R$ 120 milhões na Mega-Sena ao acertar as seis dezenas do concurso 2.189, na última quarta-feira (18). A situação viralizou rapidamente na internet e gerou uma chuva de memes. Em uma montagem, o presidente Jair Bolsonaro entrega o cheque com o valor ao ex-presidente Lula. Mas, no meio político, o assunto serviu de pretexto para acirrar os ânimos adversários.

Abraham Weintraub, ministro da Educação, fez cinco tuítes sobre o assunto, na quinta-feira (19). “Grupo do PT fica milionário sem roubar. Parabéns à tigrada. Agora já podem parar de defender o Lula”, postou. “Dois eventos praticamente impossíveis na mesma noite: ganhar sozinho na Mega-Sena e petista ficar milionário sem roubar…Estou com medo de ver um Saci Pererê hoje”, ironizou. “Petistas na liderança do partido obtiveram R$ 120 milhões. Aparentemente, não há crime no episódio. Dúvidas: será a primeira vez que a PF não vai investigar petista que fica milionário? O PT expulsa quem fica milionário sem roubar?”, questionou ele em outra postagem. Um seguidor de Weintraub criticou a sequência de mensagens: “Troca o disco, ministro. Vá trabalhar.”

A postura de Weintraub foi criticada pela deputada federal Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT. “Como um ministro da Educação se dá ao trabalho de ofender trabalhadores que tiveram a sorte de ganhar um prêmio e de quebra atacar o PT? Desprezível e leviano, Weintraub deveria cuidar do ensino público brasileiro que está em decadência e se dar ao respeito”, revidou.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, o filho 02 do presidente Jair Bolsonaro, retuitou uma das mensagens do ministro, também em tom irônico. “A desconfiança é automática. PT já virou símbolo de roubalheira no Brasil”, provocou.

A deputada federal Benedita da Silva aproveitou a situação para alfinetar o governo. “Com as 49 vagas de trabalho que os milionários da Mega-Sena deixaram na liderança do partido, o PT vai gerar mais emprego em 2019, do que o Governo Bolsonaro”. O petista Lindbergh Farias brincou: “Filie-se ao PT e participe do próximo bolão!”.

Oc aso também movimentou a Câmara. Na quinta pela manhã, uma funcionária que trabalhou no Congresso entrou na sala para deixar currículo. Na reunião do grupo de trabalho do pacote anticrime na Câmara, os deputados Paulo Teixeira e Marcelo Freixo brincaram com a situação. “Freixo, o PT está precisando de assessores, não tem ninguém lá do PSOL não? Lá, só falamos de milhão pra cima”, disse Teixeira.

“Paulo Teixeira veio de Uber. Não tem ninguém para dirigir lá”, brincou Freixo, em alusão ao um motorista da liderança que ganhou parte da bolada. “Estão dizendo que Aécio (Neves) pediu a recontagem e que o Ciro (Gomes) falou que se não fosse o PT ele teria ganho”, continuou Freixo.

Todas de Brasil

Compartilhe esta notícia:

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, espera, com o apoio da opinião pública, reverter derrotas
Segue o esforço para desvendar o enigma do BNDES
Deixe seu comentário
Pode te interessar