Últimas Notícias > Notícias > O Banrisul realiza nesta semana mais uma edição do seu Fórum de Tecnologia da Informação

Bolsonaro compara Brasil e Israel e disse que “o que nos falta é fé”

O presidente participou de um evento promovido por empresários evangélicos no Rio de Janeiro. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro participou, nesta quinta-feira (11), de um evento promovido por empresários evangélicos no Rio de Janeiro, onde falou sobre a polêmica questão da transferência da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

Segundo o presidente, essa decisão cabe ao povo, ao governo e aos parlamentares. Além disso, Bolsonaro também comparou o Brasil a Israel, dizendo que temos tudo para ter o que o país de maioria judaica tem, mas nos falta fé.

“Vemos Israel como ele é hoje em dia. Eles não têm riqueza mineral, não têm água, biodiversidade e terras férteis, grandes áreas turistas, a não ser aquelas áreas bíblicas, e olha tudo o que temos e o que nós somos. O que nos falta é fé”, afirmou.

O presidente ressaltou ainda que o seu compromisso, assim como o do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, dos ministros, “das pessoas de bem e dos evangélicos”, é transformar o Brasil no que Israel é hoje em dia. “O que nos falta? Falta fé. Nos falta gente que sirva de exemplo para os demais, que não meçam sacrifício na sua área de trabalho para demonstrar que conselho é bem-vindo, mas o exemplo arrasta”, acrescentou.

Além de Bolsonaro, estavam presentes no evento Wilson Witzel, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Durante o evento, Bolsonaro mencionou o jantar ocorrido na véspera, em Brasília, com 37 embaixadores de países árabes, no qual defendeu o fortalecimento das relações comerciais, da paz e harmonia.

“São países que mantêm negócios bilionários conosco. Fomos aplaudidos. Conversei com vários deles. Pelo semblante deles, não sou psicólogo, mas senti que existe, sim, um carinho muito grande de todos no mundo pelo Brasil”, informou.

Escritório

Na viagem que fez a Israel, Bolsonaro anunciou a instalação de um escritório de negócios em Jerusalém, destinado aos assuntos de ciências, tecnologia e inovação, além de comércio e economia.

A Autoridade Palestina condenou “nos termos mais fortes” a decisão brasileira de abrir um escritório de negócios em Jerusalém e convocou o seu embaixador no Brasil para consultas, segundo um comunicado. “Entraremos em contato com o nosso embaixador no Brasil para chamá-lo para consultas, para tomarmos as decisões apropriadas para lidar com esta situação”, disse o Ministério das Relações Exteriores da Autoridade Palestina.

O ministério afirmou que considera a decisão brasileira “uma violação flagrante da legitimidade e das resoluções internacionais, uma agressão direta ao nosso povo e a seus direitos e uma resposta afirmativa para a pressão israelense-americana que mira reforçar a ocupação e a construção de assentamentos na área ocupada em Jerusalém”.

O comunicado reitera que a Palestina considera Jerusalém como parte de seu território. Segundo o jornal The Jerusalem Post, a Autoridade Palestina irá debater com outros países uma resposta unificada para a decisão brasileira.

Deixe seu comentário: