Últimas Notícias > Capa – Destaques > Atentado em Sri Lanka: Oito suspeitos são presos durante operação policial

Bolsonaro disse que a briga com Rodrigo Maia foi chuva de verão e é página virada

O deputado Rodrigo Maia e o presidente Jair Bolsonaro tiveram atritos recentemente. (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quinta-feira (28) que a troca de críticas públicas com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, já está superada, depois de o parlamentar ter dito que pararia de falar sobre o assunto, na noite de quarta-feira (27). Maia também dá sinais de quer superar o entrevero com o Executivo.

O presidente da Câmara se reuniu em um café da manhã com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, com quem teve desavenças na semana passada, e almoçou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar sobre a reforma da Previdência, como informou o colunista do jornal O Globo Lauro Jardim.

“Para mim, isso foi uma chuva de verão. O sol está lindo. O Brasil está acima de nós”, declarou o presidente, em entrevista coletiva durante solenidade comemorativa do aniversário da Justiça Militar da União, em Brasília.

Em seguida, sorrindo, mandou “um abraço para o Rodrigo Maia”. “Da minha parte não tem problema nenhum, vamos em frente”, complementou, falando que o assunto era “página virada”. O presidente minimizou o embate, dizendo que “outros problemas acontecerão com toda certeza”.

No evento, quando Bolsonaro e outras autoridades receberam condecorações da Ordem do Mérito Judiciário Militar, ele conversou com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, também agraciados com a comenda.

O presidente da Câmara também foi convidado pela Justiça Militar da União, mas não compareceu. Questionado sobre a ausência, Bolsonaro disse não saber o motivo de ele não ter ido ao Clube do Exército. Segundo a assessoria do Superior Tribunal Militar, Maia também havia sido convidado nos dois últimos anos, por comandar a Câmara dos Deputados. O evento é anual.

Maia e Moro

A solenidade ocorreu pouco após um café da manhã entre Maia e Moro, na residência oficial do parlamentar. “Ele falou que esteve com Maia, uma conversa muito saudável, muito amigável, tudo bem. É assim a nossa vida, de vez em quando há alguns percalços, mas não podemos esquecer o que nós representamos.”

A líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), esteve junto com Moro e Maia na reunião. Em uma postagem nas redes sociais ela afirma que tinha sido fechado um acordo para reduzir pela metade o prazo do grupo de trabalho, que era de 90 dias.

Articulação política

Durante a entrevista coletiva, que durou quase dez minutos, Bolsonaro reiterou a disposição para dialogar com parlamentares e lideranças partidárias, como tem feito nos últimos dias.

“Eu gostaria de atender mais políticos no Planalto, mas o dia só tem 24 horas. Eu tenho que cinco, seis horas dormir, por isso eu não atendo mais gente.”

Bolsonaro disse ainda que não existe uma “base aliada garantida”, porque os parlamentares são independentes para decidir de acordo com os próprios entendimentos.

“É isso que faz a democracia ficar forte. É natural, eu fui deputado por 28 anos, metade da Câmara são novos, são jovens, que vão aprendendo o trejeito político com o tempo (…) Articulação é conversar, metade da Câmara são velhos amigos meus.”

O presidente disse ainda que pretende viajar pelo Brasil e citou possíveis destinos como Pará, Amazonas e Paraíba. No Estado nordestino, ele deve ir, ainda sem data definida, entregar casas populares em Campina Grande. Segundo o presidente, os compromissos são colocados na pré-agenda 15 dias antes de ser decididos.

Deixe seu comentário: