Últimas Notícias > CAD1 > Bolsonaro disse que dará asilo a médicos cubanos que o pedirem

Bolsonaro é o mais calmo do novo governo, afirma Michel Temer

O presidente Michel Temer e o presidente eleito Jair Bolsonaro. (Foto: Rogério Melo/PR)

O presidente Michel Temer relatou aos magistrados com quem se reuniu em jantar no Palácio do Jaburu, na quarta (7), o encontro que teve no mesmo dia com o presidente eleito Jair Bolsonaro. Diante da curiosidade geral, Temer tranquilizou os ministros, que mal conhecem o novo presidente: ele seria o mais atinado e calmo de toda a equipe do futuro governo.

O encontro de Temer e Bolsonaro foi registrado por Elsinho Mouco, marqueteiro e amigo do atual presidente.

Ele está filmando Temer para o que pode se transformar em um documentário: já registrou o presidente no cemitério no dia de finados e gravou com ele na malfadada sala do Jaburu em que recebeu Joesley Batista, da JBS. Nela, Temer foi gravado, gerando a maior crise de seu governo. As informações são de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Bolsonaro diz que “muita coisa” do governo Temer vai ser mantida

Após a reunião que formalizou o governo de transição, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse que “muita coisa” da gestão Michel Temer vai ser mantida, sem citar detalhes. Ele afirmou que “não se pode furtar” do conhecimento de quem passou pela Presidência da República. Bolsonaro agradeceu o encontro e disse que conta com a experiência de Temer para ajudá-lo.

“Se preciso for voltaremos a pedir que ele nos atenda. Porque tem muita coisa que continuará. O Brasil não pode se furtar do conhecimento daqueles que passaram pela presidência”, disse Bolsonaro, que concedeu entrevista ao lado de Temer, no Palácio do Planalto.

Foi o primeiro encontro entre o presidente eleito e o atual, desde a vitória de Bolsonaro, no último dia 28. Da mesma forma, foi a primeira vez que ele vem a Brasília desde a eleição. No encontro, Temer entregou simbolicamente a chave do gabinete de transição, que funcionará no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).

Após as declarações de Bolsonaro, Temer ressaltou que está à disposição do presidente eleito para o que ele e sua equipe necessitarem. O presidente da República afirmou que o momento é de unidade. “Vamos todos juntos”.

O presidente afirmou ainda que, se houver projetos de interesse do governo eleito em tramitação no Congresso Nacional, podem ser especificados para que ele e sua equipe tentem, assim, negociar sua prioridade nas votações.

Temer convidou Bolsonaro para que o acompanhe em viagens ao exterior, como a próxima Cúpula do G20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo) será em Buenos Aires, na Argentina, de 30 de novembro a 1º de janeiro, e contará com a presença do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Durante a reunião, Temer deu um livro de presente para Bolsonaro. Nele, há uma compilação dos projetos realizados do seu governo, em seis eixos: Social e Cidadania, Econômico, Infraestrutura, Brasil e o Mundo, Segurança e Defesa Nacional e Ações Regionais. A publicação começa com a frase “O Brasil é hoje um País completamente diferente de dois anos e seis meses atrás”.

Segundo Temer, durante a reunião no Planalto, foi transmitido a Bolsonaro um balanço das ações do governo nos últimos dois anos e meio e o que está programado. O presidente destacou que o programa vai ser “apreciado” pelo sucessor para analisar se deve ser mantido.

Em sua agenda na capital federal, Bolsonaro também conheceu as instalações do CCBB. Ele chegou de carro ao local e um helicóptero militar acompanhou o comboio no trajeto.

Deixe seu comentário: