Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Brasil Bolsonaro se reuniu com o comandante da Marinha pela segunda vez desde que foi eleito

. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) se reuniu, na manhã desta sexta-feira (16), com o comandante da Marinha, o almirante de esquadra Eduardo Bacelar Leal Ferreira, no Comando do Primeiro Distrito Naval, no Centro do Rio de Janeiro.

Bolsonaro chegou ao local escoltado por três batedores, um carro da Polícia Federal e outros três veículos. Essa foi a segunda vez que os dois se encontraram desde que Bolsonaro foi eleito, no final de outubro. A primeira reunião entre o presidente eleito e o comandante da Marinha ocorreu no dia 6 deste mês, na primeira visita de Bolsonaro a Brasília depois da eleição.

Na ocasião, o presidente eleito teve reuniões com os comandantes das Forças Armadas e com o atual ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna. Desde que foi eleito, Bolsonaro tem dito que as Forças Armadas terão lugar de “destaque” no seu governo.

“As Forças Armadas são as guardiãs da nossa Constituição. As Forças Armadas ocuparão lugar de destaque e voltarão a fazer parte da mesa ministerial, mesmo na informalidade, se for o caso”, disse Bolsonaro na ocasião.

Na terça-feira (13), Bolsonaro anunciou, por meio de publicação no Twitter, a indicação do general da reserva do Exército Fernando Azevedo e Silva para assumir o Ministério da Defesa. Depois, disse a jornalistas que propôs um almirante para o comando da Marinha, mas que o militar escolhido declinou por “questões familiares”. O nome do almirante não foi revelado.

Até o momento, o presidente eleito já anunciou três militares como futuros ministros no seu governo: além de Fernando Azevedo e Silva, também indicou o general Augusto Heleno para o Gabinete de Segurança Institucional e o astronauta e tenente-coronel da reserva Marcos Pontes para a pasta de Ciência e Tecnologia.

Pastor

O presidente eleito Jair Bolsonaro passou o feriado de Proclamação da República, na quinta-feira, em casa, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde recebeu a visita do pastor Silas Malafaia. “Viemos só bater papo mesmo, falar sobre essas nomeações que ele está fazendo, o que está acontecendo no Brasil. Vamos ver na prática, mas acho que está acertando”, disse Malafaia ao sair da casa do militar.

De acordo com seus assessores, Bolsonaro aproveitou o dia para descansar. Mais cedo, um visitante, de origem árabe, mas cuja identidade não foi informada, esteve na residência. Ele chegou por volta das 14h e saiu cerca de duas horas depois. A visita não estava prevista na agenda. Nenhum dos filhos do presidente eleito esteve na residência do pai durante o feriado, e os assessores mais próximos aproveitaram para tirar folga.

Todas de Brasil

Compartilhe esta notícia:

A prévia do crescimento do Produto Interno Bruto brasileiro surpreende e tem alta de 1,74% no terceiro trimestre
Michel Temer alertou Bolsonaro sobre o forte impacto dos altos salários na folha de pagamento do funcionalismo federal
Deixe seu comentário
Pode te interessar