Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Nova fase da Operação Lava-Jato mira multinacional e bloqueia quase R$ 2 bilhões dos investigados

Bomba que explodiu em Nova York foi feita para causar máximo estrago, diz jornal “The New York Times”

Bairro nova-iorquino amanheceu neste domingo com as marcas da explosão de sábado à noite (foto: reprodução)

A bomba que explodiu em Nova York na noite de sábado (17) foi montada para gerar o maior caos e destruição possível, segundo autoridades ouvidas pelo jornal “The New York Times” neste domingo (18). No total, 29 pessoas ficaram feridas – todas já tiveram alta dos hospitais.

Tanto a bomba que explodiu em Chelsea quanto a que foi encontrada nas proximidades sem detonar foram feitas com panelas de pressão, luzes de natal e foram preenchidas com materiais fragmentados, segundo um alto oficial.

O artefato que explodiu estava cheia de pequenos “rolamentos de metal”. A segunda bomba encontrada a quatro quarteirões de distância parecia estar preenchida pelo mesmo material.

Também neste domingo, dois altos oficiais disseram ao jornal norte-americano que uma “pessoa de interesse” no caso foi identificada. Eles não se referiram a ela como “suspeita”.

Os investigadores trabalham com a possibilidade de o ataque ter uma conexão com a explosão que aconteceu 11 horas antes em Nova Jersey, mas ainda é preciso comparar as bombas para chegar a uma conclusão.

Ainda não foi divulgado nenhum motivo para os ataques. O governador de NY disse mais cedo que a explosão em Chelsea foi um ato de terrorismo que aparentemente não tem conexões internacionais.

“Uma bomba explodindo em Nova York é, obviamente, um ato de terrorismo, mas não está ligado ao terrorismo internacional. Em outras palavras, não encontramos nenhuma conexão com ISIS, etc”, disse Andrew Cuomo em referência ao grupo extremista Estado Islâmico baseado no Iraque e Síria. “Mas a explosão de uma bomba é genericamente uma atividade terrorista. É assim que vamos considerá-la”, acrescentou. (AG)