Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Petrobrás faz acordo com governo uruguaio e devolverá concessão de duas empresas

Brasil fica em 105º no ranking de liberdade de imprensa e ONG prevê “um período sombrio que se anuncia”

A ONG Repórteres Sem Fronteiras classificou a liberdade de imprensa em 180 países. (Foto: Pixabay)
Por Gabriella Rocha*

A ONG Repórteres Sem Fronteiras, organização internacional que defende a liberdade de imprensa no mundo, divulgou, nesta quinta-feira (18), o ranking que nivela a liberdade de imprensa nos países. O Brasil passou para o 105º lugar neste ano, na lista de 180 nações.

Em primeiro lugar, está a Noruega, considerada, pelo próprio portal, “impecável, ou quase”. Também consta, no site, que, no país, “a mídia é livre e os jornalistas não sofrem nem censura, nem pressões políticas. A violência contra jornalistas e a mídia é rara”.

Já o último lugar é do Turcomenistão, onde “todos os meios de comunicação são controlados pelo Estado e os raros internautas só têm acesso a uma versão ultra-censurada da Web”, conforme a ONG publicou. Eles também apontaram o país como um “buraco negro de informação, cada vez mais profundo”. Além disso, grande parte dos correspondentes clandestinos de veículos locais foram presos, torturados, agredidos ou forçados a encerrar as atividades nos últimos anos.

Quanto ao Brasil, eles iniciaram a descrição prevendo: “Um período sombrio que se anuncia”. O texto continua declarando que “em 2018 ao menos quatro jornalistas foram assassinados no país em decorrência da sua atividade. Na maioria dos casos, esses repórteres, locutores de rádio, blogueiros e outros comunicadores mortos cobriam e investigavam tópicos relacionados à corrupção, políticas públicas ou crime organizado”. Também foi mencionado o novo governo, que “após uma campanha marcada por discursos de ódio, desinformação, violência contra jornalistas e desprezo pelos direitos humanos, é um prenúncio de um período sombrio para a democracia e a liberdade de imprensa”.

*Estagiária sob supervisão de Marjana Vargas

Deixe seu comentário: