Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Operação Blecaute prende gerente de estabelecimento em Sapiranga

Capitólio exibe a comédia romântica “Um Divã Em Nova York” na terça. Debate acontece após a sessão

Um Divã em Nova York é o filme mais singular de Chantal Akerman. (Foto: Reprodução/PMPA)
Nesta terça-feira (20), às 20h, o Cineclube Academia das Musas exibe, na Cinemateca Capitólio Petrobras, a comédia romântica dirigida por Chantal Akerman, Um Divã em Nova York (Un Divan à New York, 104 min, França/Alemanha/Bélgica, 1996). Após a sessão, acontece um debate com integrantes do grupo. O valor do ingresso é R$ 10, com meia entrada para estudantes e idosos.
Um Divã em Nova York
O doutor Henry Harriston (William Hurt) é um importante psicanalista novaiorquino. Béatrice Saulnier (Juliette Binoche) é uma bailarina francesa. Os dois decidem trocar de apartamentos por algumas semanas, para fugir da rotina e do stress. Mas como a decisão é tomada da noite para o dia, eles acabam se envolvendo nos assuntos pessoais, profissionais e amorosos do outro. A comédia romântica Um Divã em Nova York é e o filme mais singular da trajetória de Chantal Akerman, diretora que abriu diversas portas para o cinema experimental contemporâneo, desde a sua estreia em longa-metragem nos anos 1970.
Chantal Akerman
Nasceu em Bruxelas, Bélgica, e foi uma das mais influentes realizadoras de cinema experimental. Entre seus filmes, destacam-se Jeanne Dielman, 23 Quai du Commerce, 1080 Bruxelles (1975), exibido nos festivais de Cannes, Veneza e Toronto; Histoires d’Amérique (1989), seleção oficial do Festival de Berlim; Je, tu, il, elle (1977), Festival de Toronto; Toute une nuit (Berlim 1982) e The Captive (Cannes 2000). Akerman morreu em 2015. ​
Cineclube Academaia das Musas
O cineclube é formado por um grupo de pesquisas sobre filmes dirigidos por mulheres. Em 2017, já realizaram na Cinemateca Capitólio Petrobras sessões com os filmes O Touro, de Larissa Figueiredo, e Quando a Mulher Se Opõe, de Dorothy Arzner.

Deixe seu comentário: