Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Ex-presidente do Peru é preso por corrupção

Carnaval de Artigas celebra a cultura uruguaia na sua essência

Em Artigas, o carnaval é aguardado por grupos de dança de jovens, que se preparam o ano todo para o evento.

O carnaval é uma das festas mais esperadas, invade as ruas e traduz bem-viver em Artigas. A integração fronteiriça na data ainda é mais marcante, com a presença de turistas que chegam de várias localidades para um festejo ímpar que celebra a cultura uruguaia na sua essência. Outros segmentos que representam a economia local são a criação de gado. Hoje, empresários pecuaristas desenvolvem pesquisas com foco na exportação de sêmen para diversos países, priorizando a qualidade e pureza das raças, principalmente o Angus. Artigas também é o terceiro produtor de arroz do país. A produção de tabaco e açúcar é igualmente expressiva. A localidade conta com 85 mil habitantes, sendo 65 mil na capital. Uma das opções de hospedagem na cidade é o Hotel Cassino, com excelentes acomodações. O restaurante do hotel é administrado por brasileiros, que nunca deixam faltar o feijão (ou lentilha) e arroz para aqueles que não abrem mão desta dupla nas refeições.

Pedras preciosas, a riqueza que vem da natureza

A exploração das pedras preciosas é um dos motores da economia regional. Em uma hora de carro, é possível ir da cidade às minas e vivenciar a exploração das pedras preciosas que proliferam na região: a àgatha e a amatista, que ultrapassam fronteiras, sendo exportadas para diversos países, em especial China, Estados Unidos e Dubai. Para entrar nas galerias das minas é preciso usar colete e capacete. Na descida, o guia turístico, Carlos Juan Trinidad, vai revelando como a atividade se desenvolve. “Dois mineiros trabalham em cada ponto, recebem bons salários e total segurança para executar o trabalho”, conta ele. Além dos salários, eles ganham por produtividade, ou seja, quanto maior a pedra encontrada, maior a remuneração, em dólar. As minas também podem ser encontradas a céu aberto e todas são de propriedade particular. O potencial é enorme uma vez que somente há poucos anos começaram a ser exploradas.

Carlos Juan acredita que apenas um por cento já tenham sido abertas. Um braço social que alavanca a exploração das pedras preciosas é o Taller del Artesão, uma oficina que abriga adolescentes em situação de risco, repassando o ensino a o manuseio da atividade e seu trato para transformar o produto bruto em jóias e peças para decoração e exportação. A iniciativa não apenas educa, forma profissionais, mas também os encaminha ao mercado de trabalho. Exemplos bem sucedidos de oficinas do gênero já são realizadas no Uruguay nos segmentos da lã e couro.

Cleusa de Oliveira, de Quaraí, reside hoje em Artigas e com o marido e o filho administra uma empresa voltada à industrialização e comercialização de pedras preciosas. Junto ao pátio, onde o material é trabalhado e polido, até o acabamento final, é possível visualizar todo o processo industrial, até ser embalado para exportação, com peças, principalmente as menores, devidamente catalogadas e colocadas em caixas de papelão com todas as informações de cor, tamanho, polimento, procedência. Um trabalho realizado a várias mãos que enaltece o país. Um país que sabe encantar e atrair turistas, fazendo desta, uma de suas principais atividades. De norte a sul do país, o Uruguay é uma bela surpresa!

Deixe seu comentário: