Últimas Notícias > CAD1 > Grêmio tem reapresentação com volta de Kannemann e jogo-treino para os reservas

Chico Buarque conquista grande prêmio da literatura em língua portuguesa: “Camões”

Cantor recebeu um show em homenagem aos seus 75 anos. (Foto: Leo Aversa/Divulgação)

O 31º Prêmio Camões foi concedido a Chico Buarque de Holanda, nesta terça-feira (21). Aos 74 anos, o carioca, é compositor, cantor, dramaturgo e escritor, se destacando na produção artística brasileira. Ele é o 13º nome brasileiro a ser agraciado, desde o lançamento da premiação. Ela iniciou em 1989, reunindo Brasil e Portugal, e é considerada a principal na literatura em língua portuguesa.

O júri foi composto por seis profissionais de relevante atuação em torno do idioma. Entre os jurados, estava o professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Antonio Hohlfeldt. A seleção avalia obras que tenham contribuído para o reconhecimento da língua portuguesa.

Também foram avaliadores o ensaísta brasileiro e poeta, Antonio Cícero; o professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e presidente da Associação Portuguesa de Críticos Literários, Manuel Frias Martins; a professora associada da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Clara Rowland; a poeta angolana e professora universitária em Lisboa (Angola), Ana Paula Tavares; e o professor da Faculdade de Letras e Ciências Sociais da Universidade Eduardo Mondlane em Moçambique, Nataniel Ngoman.

O autor

A primeira publicação ficcional de Chico Buarque foi a novela Fazenda Modelo, em 1974. Já cinco anos depois, ele lançava Chapeuzinho Amarelo, se aventurando na área infantil. Nos anos 1990 e 2000, engatou uma série de romances:Estorvo (1991), Benjamin (1995)Budapeste (2003); Leite Derramado (2009) e Irmão Alemão (2014). Ele escreveu as peças de teatro Roda Viva (1968); Calabar (1972); Gota D’Água (1974), e Ópera do Malandro (1978).

A Biblioteca Nacional fez o anúncio em sua página oficial no Twitter:

 

 

 

 

Deixe seu comentário: