Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Mostly Cloudy

Capa – Magazine Clube de Leitura da Biblioteca Pública do Estado aborda Don Quixote de Cervantes e Jane Eyre de Charlotte Brontë

Prédio da Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul integra a categoria Eclético com estrutura Neoclássica. (foto: Fernando Bueno/divulgação)

A Biblioteca Pública do Estado (BPE) dá início à programação do Clube de Leitura 2017, sempre às quintas-feiras, com palestras às 17h30min e filmes às 16h. De 6 a 27 de abril o tema será “Don Quixote” de Miguel Cervantes; e de 18 de maio a 1º de junho será sobre “Jane Eyre” de Charlotte Brontë. Estudantes e interessados podem participar da atividade gratuita, preferencialmente mediante agendamento, pelo e-mail bpe-rs@sedac.rs.gov.br.

Saiba mais sobre as obras

“Don Quixote de La Mancha” – Escrito por Cervantes (1547-1616) a obra é composta por 126 capítulos, divididos em duas partes, a primeira delas editada em 1605, em Madri. Escrito em forma de novela realista, o livro parodia os romances de cavalaria, populares no período, mas já em decadência.

O protagonista, de certa idade, por ser aficcionado por este tipo de leitura, perde o juízo e acredita que tenham sido verdadeiras estas histórias. Decide, então, tornar-se um cavaleiro andante, partindo pelo mundo e vivendo suas próprias narrativas, montado no cavalo Rocinante e acompanhado de seu fiel escudeiro, Sancho Pança, com visão mais realista.

Incursionando nas terras da Mancha, de Aragão e da Catalunha, se envolve em uma série de aventuras, mas suas fantasias são sempre desmentidas pela dura realidade. O humor decorre deste descompasso, da figura que teria sido um heroi cem anos antes, que se enganou de século. O autor teceu uma sátira de sua época, usando um cavaleiro medieval em plena idade Moderna para fazer um retrato da Espanha, concebendo a maior obra-prima de língua espanhola.

Jane Eyre – Publicado em 1847, em três volumes, pela britânica Charlotte Brontë, a obra é uma autobiografia ficcional da personagem homônima. A órfã Jane vive infeliz na casa de uma tia que a detesta e após um confronto é mandada para uma escola, onde se sente melhor. Após seis anos como aluna e dois como professora, torna-se tutora da jovem Adèle, pupila de Edward Rochester. Quando finalmente conhece Rochester, ambos se apaixonam e ele lhe propõe casamento, que ela aceita. Mas no dia da cerimônia descobre que ele já era casado, com Bertha, que conheceu na Jamaica e enloqueceu. Para que ninguém soubesse, a mantinha escondida no sótão e diante destes fatos, Jane decide fugir.

Mais tarde vem a descobrir que não só herdou dinheiro de um tio e divide a herança com primos. Jane resolve descobrir o que se passara com Rochester, pois havia se passado um ano que havia fugido de sua casa, antes de dar uma resposta de pedido de casamento. Encontra-o cego e aos cuidados de dois criados fiéis, pois sua casa havia sido incendiada pela esposa enlouquecida, e ele perdera a vista e uma das mãos, ao tentar salvar todos que lá viviam. Como Bertha se suicida, ao se jogar da casa em chamas, Jane decide assim casar finalmente com ele.

O livro retrata a emancipação feminina, na medida em que as mulheres até então não eram aptas a trabalhar, devendo casa-se para garantir sua sobrevivência, segundo a lógica vigente. Com um clima de mistério, sugerido pelo passado e trágicidade, tem alguns elementos simbólicos, como a cegueira de Rochester, que só volta a ver quando reencontra Jane, um ano depois do incidente, e após a morte da mulher. A trama fala da sensibilidade moral e espiritual da protagonista, e pela intensidade dos fatos, antes no domínio da poesia, “Jane Eyre” revolucionou a arte da ficção. Charlotte Brontë passou a ser considerada a ‘primeiro historiadora da consciência privada’ e ancestral literária de escritores como James Joyce e Malce Proust.

Programação:

Dom Quixote, de Miguel de Cervantes

06/04 -17h30min – Palestra Profª Almudena Santa Maria

13/04 -15h30min – Palestra Profº André Alfama

20/04 -16h – Filme “O Homem de La Mancha” (Itália-EUA/1972/2h12min)

Dirigido e produzido por Arthur Miller, com roteiro de Dale Wasserman, longa tem no elenco Peter O’Toole (Don Quixote, Cervantes e Alonso Quijana), Sophia Loren (Dulcineia, a amada do protagonista e Aldonza) e James Coco (Sancho Pança).

Durante a Inquisição na Espanha, Miguel de Cervantes é preso como herege, por propagar pensamentos subversivos. Ele é jogado em um calabouço, ocupado também por ladrões e assassinos, e ‘julgado’ pelos prisioneiros. Para se defender, conta a história de um homem idoso, que passa os dias e as noites lendo e só consegue ver a injustiça e a trapaça triunfarem. Torna-se então um cavaleiro errante, conhecido como Don Quixote de la Mancha, que decide lutar contra as injustiças do mundo.

27/04 -17h30min – Conversa com Leitores

Jane Eyre, Charlotte Brontë 

18/05 – 17h30min – Palestra

25/05 -16h- Filme “Jane Eyre” (EUA/1943/1h37min)

Robert Stevenson dirige filme adaptado da história de amor de Charlotte Bronte, com Joan Fontaine e Orson Welles. Depois de uma infância como órfá, Jane Eyre consegue um emprego como governanta da filha do pertubado Edward Rochester, um aristocrata inglês. Com o passar do tempo ela e seu patrão se apaixonam e decidem se casar. Mas o casamento é abalado quando um visitante revela o segredo que Rochester fazia questão de manter no esquecimento.

01/06 -17h30min – Conversa com Leitores

Resumo:
Período: 6 de abril a 1º de junho de 2017.
Dias e horários: Quintas-feiras, conforme programação acima.
Local: Biblioteca Pública do Estado/BPE (Riachuelo, 1190)
Inscrições: Pelo e-mail bpe-rs@sedac.rs.gov.br, para efeito de controle, sem obrigatoriedade.
Contato: Telefone (51) 3225-9619
Entrada franca

 

Voltar Todas de Capa – Magazine

Compartilhe esta notícia:

Maria Rita retorna a Porto Alegre com Samba da Maria
Fernanda Abreu rompe o silêncio e retorna com show no Opinião, em Porto Alegre
Deixe seu comentário
Pode te interessar