Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Mostly Cloudy

Capa – Caderno 1 Clube vai à polícia após receber oferta de 30 mil reais para perder um jogo

Velo Clube é o penúltimo colocado do Grupo 02, com seis pontos em nove jogos (Foto: Divulgação/Velo Clube)

A diretoria do Velo Clube registrou um boletim de ocorrência na última semana alegando ter recebido uma proposta de 30 mil reais para perder um jogo válido pelo Campeonato Paulista Sub-20, contra o Mogi Mirim, no dia 5 deste mês.

Na semana anterior ao confronto, realizado no estádio velista, o diretor Eder Muller diz ter recebido um áudio, via WhatsApp, de um desconhecido, com a seguinte transcrição (ouça logo abaixo):

“Eu queria ver com você. Você vai jogar contra o Mogi Mirim, para fazer uma situação dessa. Eu vou te dar R$ 30 mil. Se você falar, “não, vou falar só com os atletas”, chamamos os atletas num canto, reúne os atletas, conversa com eles como vai ser. O goleiro, dois zagueiros, dois volantes, um meia e um atacante, entendeu? Vamos dar para os caras dividirem. Cinco mil para eles dividir. O resto fica para o clube e para mim. Uma parte fica para mim, outra parte coloco no clube sem ninguém saber. Entendeu? Queria ver contigo. Quando voltar o campeonato e começar de novo, se a gente quiser fazer mais dois joguinhos, um joguinho só, a gente faz, e dinheiro sempre na mão. Acabou o jogo, o dinheiro está na mão”. (sic)

Mesmo tendo o áudio antes da partida, Eder Muller optou por guardá-lo, sem fazer alarde ou torná-lo público. Mas, com tantos fatos durante o jogo, o diretor resolveu levar tudo para a delegacia no dia seguinte.

“Eu recebi a mensagem de um rapaz querendo comprar o resultado da partida por R$ 30 mil. Gravei o áudio e ficamos espertos, pois poderia ser de um site de apostas. Entrei no Google e realmente tinha esse jogo. Ficamos com medo, pois poderiam envolver o árbitro, por exemplo. Mas não. Nosso treinador e nosso auxiliar estavam por trás disso”, declarou o diretor do Velo Clube, citando o treinador Robson dos Santos e seu irmão e auxiliar técnico, Gerffeson dos Santos.

O fato do técnico do Galo Vermelho escalar um zagueiro que tinha acabado de chegar ao clube causou estranheza. A entrada de um terceiro goleiro, que havia sido inscrito naquela semana, também foi proposto pelo treinador, mas sem sucesso.

O preparador físico Victor Sorato, que acompanha o time, também não entendeu a postura do treinador em querer modificar a equipe naquelas circunstâncias.

“Ele colocou um zagueiro que não tinha feito nenhum jogo. Ainda tentou colocar um outro jogador, mas a diretoria não deixou porque o menino nem tinha treinado. Ele [Robson] disse: ‘eu quero fazer algumas experiências’. Isso nos deixou desconfiados”, contou Sorato, que relatou outro fato bastante inusitado durante a partida.

Após um cruzamento na área do Velo Clube, o zagueiro que tinha entrado por opção do treinador colocou a mão na bola. Pênalti para o Mogi Mirim.

No intervalo da partida, com 2 a 0 no placar a favor do Mogi Mirim – resultado que havia sido proposto pelo suposto comprador do jogo – o treinador Robson e seu auxiliar, Gerffeson, não foram ao vestiário para falar com os garotos.

“Foi muito estranho. Essa atitude nos deixou ainda mais desconfiados. Fui falar com os jogadores. Nós jamais aceitaríamos isso [vender a partida]. É o sonho de muitos garotos de chegar no profissional. Não pode acontecer isso num clube sério”, comentou o diretor Eder Muller.

Na volta para o segundo tempo, estranhamente o treinador Robson dos Santos desapareceu. De acordo com o preparador físico Victor Sorato, assim que o Velo Clube diminuiu o placar para 2 a 1, foi a vez do irmão e auxiliar técnico Gerffeson dos Santos ir embora.

Ao final da partida, com o desaparecimento dos irmãos, Eder Muller pegou os documentos de ambos, entregues ao árbitro antes da partida para o preenchimento da súmula, e anexou ao boletim de ocorrência, lavrado no dia seguinte.

Investigação

Por meio de nota, a Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo informou que investigará o caso. Confira na íntegra:

“A Polícia Civil de Rio Claro informa que um boletim de ocorrência foi registrado com base nos crimes previstos no estatuto do torcedor. O caso segue em investigação e depoimentos serão coletados para identificar os autores do crime. Os áudios das conversas também foram apreendidos para que possam auxiliar nas investigações.”

Acionando a FPF

A intenção da diretoria do Velo Clube é encaminhar o inquérito à Federação Paulista de Futebol. Segundo Eder Muller, a intenção é investigar o caso e evitar que fatos semelhantes aconteçam em outros jogos.

“Foi solicitada a quebra de sigilo telefônico das pessoas envolvidas. Assim que recebermos o inquérito, vamos encaminhá-lo à Federação Paulista de Futebol.”

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

Compartilhe esta notícia:

O senador Aécio Neves é notificado a devolver mais de 20 milhões de reais ao governo federal
O governo não vai ceder e o fim do imposto sindical obrigatório será mantido
Deixe seu comentário
Pode te interessar