Home > Notícias > Brasil > A Polícia Federal vai fazer uma varredura em gabinetes e telefones de ministros do Supremo

Condenado por agredir Luiza Brunet, o bilionário gaúcho Lírio Parisotto se defende dizendo: “Fui vítima”

Luiza comemorou a decisão, que dedicou a todas as mulheres. (Fotos: Reprodução)

Condenado a um ano de serviços comunitários por agressão à ex-namorada Luiza Brunet, durante uma viagem no ano passado a Nova York (EUA, o empresário gaúcho Lírio Parisotto, 63 anos, usou o seu perfil na rede social Instagram para se defender e afirmar que vai recorrer da sentença. No desabafo, ele acusou a modelo de mentir e afirmou que “seria um prazer” cumprir a pena: “Eu já faço muita ajuda comunitária”, argumentou.

De acordo com o bilionário, Luiza teria “inventado” uma lesão em um dos dedos, acusação da qual foi absolvido ao longo do processo. O empresário também diz ter sido “vítima” das três acusações feitas pela ex-namorada.

“Tenho certeza de que a verdade prevalecerá”, registrou. “Não vou me delongar no assunto. Se alguém tiver interesse, está tudo escrito nas datas deste triste episódio, é só conferir, nada mudei. Atentem para o aspecto financeiro. Portanto, muita paz e companheirismo, só assim o amor sobreviverá e vencerá. Adoro vocês, obrigado pela força.”

A sentença, da juíza Elaine Cristina Monteiro Cavalcanti, também determina que o empresário fique durante dois anos sob vigilância.

Luiza comemora

A modelo Luiza Brunet também usou as redes sociais, mas para comemorar a decisão judicial. Em um post na mesma rede social, ela agradeceu o apoio de fãs e falou sobre a dificuldade em expor a violência que sofreu.

“Difícil dizer o que sinto, mas é um dia que me deixa realizada, com o coração pacificado e uma sensação de ter ido no caminho certo”, declarou. “Não foi fácil me expor e conviver com as marcas dessa violência.  É um momento muito maior pelo que significa para tantas mulheres na mesma condição. Não existe aqui a Luiza, existem mulheres e existe a minha imensa felicidade pelo funcionamento da Justiça, dessa incrível lei Maria da Penha. Não se calem, mulheres. Vamos mudar essa situação. Não acaba aqui. Vocês me inspiraram sempre com seu apoio e sua força. E o que tenho a dizer se resume a uma palavra: gratidão.”

Comentários