Contratado pelo Inter mas impedido de jogar, o atacante Paolo Guerrero recebeu uma notícia que pode mudar os rumos de seu caso por doping

Atleta peruano chegou a ser apresentado à torcida colorada. (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

A “novela” envolvendo a suspensão do atacante peruano Paolo Guerrero ganhou mais um capítulo nessa terça-feira. Ainda no aguardo de uma decisão do Tribunal Federal da Suíça sobre um pedido de nulidade de sua punição por doping, o jogador recebeu uma boa notícia, que será utilizada por sua defesa, para que ele possa vestir a camisa do Inter.

Conforme a imprensa de seu país, uma inspeção realizada pelo Ministério Público no hotel Swissotel, que abrigou a Seleção do Peru em Lima antes de uma partida contra a Argentina em outubro do ano passado, concluiu que o estabelecimento forneceu informações falsas à Wada (Agência Mundial Antidoping), que usou-as como prova contra Guerrero no TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), instância máxima do direito esportivo internacional.

Inter

Guerrero foi condenado a um ano de suspensão por doping após uma exame acusar presença de metabólito da cocaína em seu organismo, no jogo contra a Argentina. Em dezembro, a defesa obteve a redução da pena para seis meses, permitindo ao peruano voltar a vestir a camisa do Flamengo em maio e a disputa da Copa.

Ele retornou a campo em 6 de maio (três dias após ser julgado em última instância pelo TAS) e fez três jogos pelo Flamengo, chagando a marcar um gol. Ainda em maio, porém, o TAS ampliou a pena para 14 meses de suspensão e o peruano conseguiu efeito suspensivo na Justiça Comum da Suíça.

O atacante disputou a Copa e em julho voltou ao Flamengo para mais quatro jogos do Brasileirão. Acabou assinando com o Inter por três temporadas e chegou a ser apresentado à torcida colorada no estádio Beira-Rio, mas não chegou a estrea: no dia 23 de agosto, a Justiça da Suíça revogou o efeito suspensivo e, até nova decisão favorável, só estará liberado em abril de 2019.