Home > Notícias > Brasil > A Polícia Federal vai fazer uma varredura em gabinetes e telefones de ministros do Supremo

Corrida atrás da popularidade

(Foto: Abr)

O governo federal tenta saídas para melhorar o índice de aceitação nas pesquisas. Uma é aliviar o contribuinte do Imposto de Renda para Pessoa Física com a redução da maior alíquota cobrada dos atuais 27,5% para 18%. Assim, quem recebe rendimentos tributáveis superiores a 4 mil e 600 reais seria beneficiado. Compensando a perda da receita, aumentaria a taxação de dividendos de pessoas jurídicas, uma espécie de rateio dos lucros de uma empresa para os sócios.

Crítico

Com a autoridade de quem foi secretário da Receita Federal, Osiris Lopes tornou-se exímio em puxar orelhas nos seus artigos. Exemplo:  “Entra governo, governo é despejado e o cenário tributário nacional continua configurado como um fantástico quadro surrealista. Parece que a nossa realidade tributária está traçada e desenhada por um mestre surrealista do gabarito de Salvador Dali”.

 Vai detonar

Eduardo Cunha está pronto para tirar o pavio da granada: pediu ao Supremo Tribunal Federal acesso a gravações de inquérito sobre o presidente Temer antes de depor à Polícia Federal.

Proposta derrotada

Agora, que é cogitada a mudança do sistema, cabe lembrar que a Constituinte de 1988 tratou do tema. Com 344 votos favoráveis, 212 contrários e três abstenções, decidiram que continuaria o presidencialismo.

Decisiva

A 14 de junho de 2016, a deputada federal Tia Eron, do PRB da Bahia, teve sua tarde de glória. Era o único voto que faltava no Conselho de Ética da Câmara para levar Eduardo Cunha ao cadafalso. Prometeu e cumpriu, encaminhando a cassação.  Vereadora em Salvador, de 2001 a 2014, elegeu-se para o cargo de deputada. Conhecido o resultado, sua primeira declaração aos repórteres foi: “Não mandam nessa nega.”       Em 2012, recebeu o Prêmio Internacional Mulheres Distintas em Hartford, Estados Unidos. Em 2015, foi indicada ao Troféu Raça Negra 2015 na categoria Personalidade Política.

Inacreditável

Números divulgados pelo Ministério Público: na capital da República, denúncias de racismo cresceram 1.190% nos últimos seis anos. A escandalosa cifra contribui para derrubar o mito divulgado de que o Brasil é uma democracia racial. Nem se trata de caso particular, restrito à cidade que sedia os Três Poderes.  Faltam os números de outros centros urbanos para provocar sustos.

Memória

Em abril de 1953, o ministro do Trabalho, João Goulart, propôs aumento de 100 por cento para o salário mínimo. Perguntou, então, ao presidente Getúlio Vargas se era verdade que o novo valor determinaria sua queda do cargo. A resposta: “Querem derrubá-lo e as pressões são fortes, mas concretize sua intenção, decrete que eu assino.” Publicada a autorização, Goulart foi obrigado a deixar o governo.

Permuta

Uma mão lava a outra: o PMDB livra Aécio Neves no Conselho de Ética do Senado. O PSDB ajuda a rejeitar o pedido de abertura de inquérito que pode afastar Temer.

Este conhece

Sem aparecer muito, José Sarney é o mestre da alquimia para manter Temer no poder.

Verbo solto

Se dependesse de reuniões, fóruns e seminários, o problema da segurança pública estaria resolvido há muito tempo.

Não mudam

A maioria dos parquímetros moedeiros em Porto Alegre está sem manutenção. Rejeitam moedas ou não fornecem o ticket para o estacionamento. Mesmo assim, os azuizinhos punem à vontade. A Rua Padre Chagas é um dos exemplos. A multa é de 195 reais e perda de cinco pontos na carteira de habilitação. Um absurdo.

Salva vida

Em época de crises políticas, aplicam o antigo ditado: para quem está afundando, jacaré é tronco.

Comentários