Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Governo estuda tirar Ancine da gestão do Fundo Setorial do Audiovisual

CPMI da JBS convoca mais de 15 pessoas e quer ouvir ex-auxiliar de Janot na semana que vem

Joesley Batista em deslocamento de São Paulo para Brasília. (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Numa sessão esvaziada, a CPMI da JBS aprovou nesta quinta-feira (21), mais de 300 requerimentos que preveem de pedidos de informações sobre operações da Polícia Federal ao convite para ouvir o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. Ao todo, foram 15 pessoas convocadas a prestar depoimento na comissão, incluindo os executivos do grupo J&F que fecharam acordo de delação, como os irmãos Joesley e Wesley Batista, o diretor Ricardo Saud e o diretor jurídico da empresa, Francisco de Assis e Silva.

Diferentemente de Janot, que pode recusar o convite e não ir à CPMI, as pessoas convocadas são obrigadas a comparecer, embora possam ficar em silêncio. As audiências estão marcadas para começar já na semana que vem.

O objetivo da CPMI é investigar os negócios da empresa de processamento de carnes com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e a delação premiada fechada por executivos do grupo que implica diretamente o presidente Michel Temer. Parlamentares da oposição, no entanto, criticam o fato de a comissão ser usada como uma espécie de revanche pelo grupo político do presidente contra Janot e integrantes do Ministério Público.

No calendário definido pelo presidente da CPMI, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), o primeiro a ser ouvido, na próxima terça-feira (26), será o procurador Ângelo Goulart Villela, que atuou na Operação Greenfield e foi preso suspeito de vazar informações sobre as investigações envolvendo a JBS para o advogado Willer Tomaz, que representava o grupo. O próprio advogado também foi convocado e deverá depor à CPMI no dia seguinte, na quarta-feira (27). No mesmo dia está programado o depoimento do ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho.

“Precisamos começar. Nós aprovamos hoje diversos requerimentos de pedidos de informações. E sem informações fica difícil o trabalho da CPMI”, disse Ataídes. “É de bom alvitre que essas figuras principais sejam ouvidas depois que tivemos essas informações em mãos”, afirmou, em referência a Janot e aos irmãos Batista.

A convocação de Coutinho enfrentou protestos de parlamentares do PT, que tentaram, sem sucesso, transformar o pedido em convite. “Uma coisa é convidar o doutor Luciano Coutinho, que é uma pessoa respeitada. Outra coisa é chamá-lo como investigado”, afirmou o deputado Paulo Pimenta (PT-RS).

No caso dos ex-presidentes da Caixa Econômica Federal Jorge Hereda e Maria Fernanda Ramos, o PT conseguiu transformar o pedido de convocação em convite.

Denúncia

Relator da CPMI e integrante da tropa de choque de Temer no Congresso, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) negou que a preferência em ouvir Goulart primeiro esteja relacionada à chegada de mais uma denúncia contra Temer na Câmara. “A CPMI terá que avançar independentemente da denúncia”, disse.

O Supremo deve concluir nesta quinta-feira o julgamento sobre o envio à Câmara da acusação feita por Janot contra Temer por obstrução de justiça e organização criminosa. A expectativa é de que, finalizado o julgamento, a denúncia chegue ao Congresso na semana que vem.

Goulart afirmou recentemente que Janot tinha pressa em derrubar Temer da Presidência para impedir que a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, fosse escolhida para sucedê-lo.

Lista de convocados na CPMI da JBS

Marcello Miller, advogado e ex-procurador da República
Ângelo Goulart Villela, procurador da República
Willer Tomáz de Souza, ex-advogado do grupo J&F
Joesley Batista, dono da JBS
Wesley Batista, dono da JBS
Ricardo Saud, diretor da JBS
Valdir Aparecido Boni, executivo da JBS
Francisco Assis e Silva, diretor jurídico da JBS
Florisvaldo Caetano Oliveira, executivo da JBS
Fábio Chilo, executivo da JBS
Demilton Antonio de Castro, executivo da JBS
Luciano Coutinho, ex-presidente do BNDES
Cláudia de Azevedo Santos, representante do BNDES no Conselho da JBS
Florisvaldo Machado, inspetor da CVM
José Cláudio Rego Aranha, ex-diretor do BNDES

Lista de convidados na CPMI da JBS:

Rodrigo Janot, ex-procurador-geral da República
Eduardo Botão Pelella, ex-chefe de gabinete da PGR
Leonardo Porciúncula, ex-presidente da CVM
Márcio Lobo, advogado da Aidmin (Associação de Acionistas Minoritários)

Delegados da PF responsáveis pelas Operações Bullish, Greenfield, Sépsis, Cui Bono?, Carne Fraca, Tendão de Aquiles e Patmos

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.