Últimas Notícias > Atividades Empresariais > Cooperativa Vinícola Garibaldi conquista cinco ouros no principal concurso nacional de espumantes

Criminosos se passavam por mulheres para extorquir dinheiro de vítimas no RS

Na Penitenciária Estadual de Charqueadas foram aprendidos celulares, chips e mais de R$ 5 mil. (Foto: Divulgação/ Susepe)

A Polícia Civil gaúcha está investigando um esquema de estelionatários. Golpistas chantageavam vítimas e, em alguns casos, utilizavam fotos de delegados nas redes sociais para conseguir dinheiro.

O objetivo dos criminosos era extorquir dinheiro. Eles enviavam uma solicitação de amizade nas redes sociais se passando por mulheres e começavam a enviar fotos a homens mais velhos, pedindo imagens comprometedoras como retorno. Então, um suposto pai da mulher com quem conversavam entrava no esquema, alegando que a ação se tratava de pedofilia, exigindo dinheiro em troca para não comunicar a polícia.

A investigação aponta que as contas bancárias utilizadas em alguns casos estão em nome de laranjas, vinculados a criminosos detidos no sistema prisional. Do lado de fora, familiares ou companheiras recebiam o dinheiro da extorsão.

O delegado responsável pela investigação, André Anicet, explica que, em alguns casos, os bandidos se passavam por agentes ou autoridades policiais, inclusive utilizando fotos destas pessoas. Eles também cobrariam valores para não instaurar um suposto inquérito.

Ainda não se sabe a quantidade de vítimas dos estelionatários. A polícia alerta para alguns cuidados na internet. Segundo o delegado, as pessoas devem “sempre cuidar na aceitação das amizades, verificar o perfil das pessoas, se as fotos são verdadeiras, e não acreditar que jovens queiram se relacionar com outros homens sem conhecer pessoalmente, porque certamente algum interesse há”.