Últimas Notícias > Magazine > Dicas de O Sul > AJE recebe o Secretário Ruy Irigaray para edição especial do projeto Café Político

Cristiano Ronaldo pode chegar aos mil jogos na carreira neste domingo

CR7 vai entrar para uma seleta lista de lendas. (Foto: Reprodução)

Cristiano Ronaldo pode realizar jogo de número 1.000 em sua carreira, neste domingo (10), contra o Milan. Na última partida da Juventus, o atacante saiu machucado e é dúvida para o confronto contra os Rossoneri. CR7 vai entrar para uma seleta lista de lendas. As informações são do site Lance!

Apenas 23 jogadores na história conseguiram chegar a marca de 1.000 jogos disputados na carreira. A lista inclui grandes jogadores como Iker Casillas (1.120, na 5ª posição), assim como Peter Shilton (1.390) e Rogerio Ceni (1.294).

Das 999 partidas da carreira de CR7, o Real Madrid se isola como o clube em que o português mais atuou, com 438 partidas, ao todo, com 450 gols marcados. O Manchester United, com 292 jogos, vem logo depois. O Sporting foi a equipe que menos defendeu, com 30 partidas.

A Juventus lidera o Campeonato Italiano com 29 pontos, enquanto o Milan ocupa a incômoda 11ª posição, com 13 pontos. O grande rival dos Rossoneri, a Internazionale disputa ponto a ponta com os Bianconeri a primeira posição, tendo em vista que a equipe de Antonio Conte tem 28 pontos.

Jogador completo

No final do mês passado, Cristiano Ronaldo concedeu uma longa entrevista à revista ‘France Football’ onde falou de talento, rotina de trabalho, evolução de jogo e importância das partidas. O português pontuou que, se pudesse, jogaria apenas os jogos com a seleção portuguesa e da Liga dos Campeões, além de ressaltar que acredita ser “um jogador completo” e sem “nenhum ponto fraco”.

Aos 19 e 20, entendi que o futebol são números, títulos, recordes e não apenas o desempenho dento do campo. Se quer ganhar alguma coisa, tem que fazer gols. (…) No início, driblava, dava espetáculo com o meu trabalho de pés, mas percebi que não era suficiente. Tinha de fazer gols e tive a sorte em Manchester de ter grandes jogadores à minha volta que me fizeram entender e me ajudaram a melhorar (Giggs, Scholes, Van Nistelrooy, Rio Ferdinand). Alex Ferguson também me ensinou muito e percebi que tinha potencial para marcar, não apenas para driblar e dar assistências. Acho que sou um jogador completo, sem um verdadeiro ponto fraco. Posso marcar com o pé direito, com o esquerdo, de cabeça … sou forte, rápido”, disse o jogador.

Se dependesse de mim, jogaria apenas os jogos importantes. Os da Seleção e da Liga dos Campeões. São esses tipos de jogos que motivam, os que tem algo em jogo, com um ambiente difícil, pressão. Depois, deve ser profissional e estar em forma todos os dias para honrar sua família e o clube que te representa e paga. Tem que dar o melhor todos os dias.”

Sobre a rotina fora de campo, o craque afirmou: “Todos envelhecemos. Você pode ser saudável por um longo tempo, mas o corpo sofre uma erosão natural contra a qual não podemos fazer nada. Dizem que tenho o corpo de um atleta, mas não é apenas pelo físico ou pelos treinos. Há o estilo de vida, a nutrição, o sono, a escolha dos exercícios que faço. Cerca de 70% da minha vida é dedicada ao futebol. Há que ser inteligente para durar. Chamo isso de educação de um jogador de futebol”.