Últimas Notícias > Colunistas > Enfrentando problemas

Cuba acusa os Estados Unidos de dificultarem visitas de cubanos

A validade de vistos será reduzida de cinco anos para apenas três meses. (Foto: Reprodução)

Cuba acusou os Estados Unidos no sábado (16) de dificultarem as viagens de seus cidadãos ao país para visitar parentes, ao reduzir a validade dos vistos concedidos de cinco anos para três meses. Os Estados Unidos informaram que reduzirão, a partir de segunda-feira, a validade dos vistos de turista para cubanos, alegando reciprocidade no tratamento destinado aos americanos que visitam a ilha.

“Desta forma, o governo dos Estados Unidos aumenta os obstáculos às visitas familiares e com outros propósitos”, criticou a Chancelaria cubana. Os cubanos tinham acesso ao visto B2, com direito a várias entradas durante cinco anos. Atualmente, Cuba concede aos visitantes americanos uma entrada válida por dois meses, com possível prorrogação por um mês.

“Para estabelecer reciprocidade, o governo americano irá alinhar esta categoria de visto”, informou a encarregada de Negócios Mara Tekach em um vídeo divulgado ontem pela embaixada nas redes sociais. “Não é certo que esta decisão tenha sido tomada sob o critério de reciprocidade, uma vez que Cuba oferece todas as facilidades para que os cidadãos americanos, a partir de qualquer país, incluindo os Estados Unidos, obtenham o visto”, respondeu a Chancelaria cubana.

Recuo

Segundo o governo cubano, a decisão representa um obstáculo adicional ao exercício do direito dos cidadãos cubanos de visitar seus parentes nos EUA. “Se os Estados Unidos desejam realmente aplicar a reciprocidade, deveriam abrir imediatamente seu consulado em Havana, retomar o processo de concessão de vistos, que interrompeu de forma arbitrária e injustificada há mais de um ano, e eliminar a proibição aos cidadãos americanos de viajarem livremente a Cuba”, assinalou.

Após a aproximação histórica e a reabertura de embaixadas durante os governos de Barack Obama e Raúl Castro, a relação bilateral regrediu com a chegada de Donald Trump ao poder nos Estados Unidos. Ele suspendeu há mais de um ano a entrega de vistos em Havana, alegando “ataques acústicos” contra seus diplomatas, que foram reduzidos a uma representação mínima. Atualmente, os cubanos têm que solicitar visto para os Estados Unidos em outros países.

Processos

Os Estados Unidos habilitaram processar em seus tribunais empresas cubanas que gerenciem bens confiscados de americanos, mas não avançou com sua ameaça de habilitar ações similares contra outras empresas estrangeiras na ilha, especialmente conglomerados europeus. As informações são da agência de notícias AFP.

A seção III da lei Helms-Burton de 1996 permite, teoricamente, iniciar ações na Justiça americana às empresas que registrem lucros graças a ativos que tenham sido nacionalizados depois da revolução de 1959. Mas os sucessivos governos suspenderam este parágrafo para evitar um confronto com sócios dos Estados Unidos cujas empresas poderiam ser afetadas.

“Hoje estou anunciando uma exceção à suspensão de 30 dias do título III da Lei de Liberdade”, anunciou o secretário de Estado, Mike Pompeo. Esta lista assinala entidades ou subentidades que estejam sob o controle de militares cubanos, serviços de Inteligência ou Segurança.

Deixe seu comentário: