Últimas Notícias > Notícias > A Microsoft admite que funcionários também escutavam áudios do Skype e da Cortana

Cuidado na Páscoa! Chocolate é tóxico para cães e gatos

A substância chamada teobromina, presente no cacau, pode causar intoxicações, vômitos e diarreia. (Foto: Reprodução)

A Páscoa chegou e temos vontade de compartilhar toda a delícia dessa data com os nossos pets. Mas cuidado: o chocolate é tóxico para cães e gatos. A substância chamada teobromina, presente no cacau, pode causar intoxicações, vômitos e diarreia. Sintomas mais graves, como tremores musculares e hemorragias, são raros, mas podem acontecer em caso de ingestão excessiva de chocolates com alta concentração de cacau.

“No lugar de chocolate, ofereça alimentos específicos.  Os snacks podem ser oferecidos como recompensa, quando os pets ficam olhando para o tutor implorando por um agrado”, aconselha o médico veterinário da DogLicious, Marcello Machado.

Outro fato importante é que seu pet é curioso e tem um excelente olfato. Ao esconder os ovos de Páscoa, certifique-se de que seu animalzinho não encontre essas delícias antes de você. Afinal, além do cacau, cães e gatos também são intolerantes a lactose, presente no leite utilizado na fabricação do chocolate.

O médico veterinário também alerta para o consumo de açúcar, que pode trazer inúmeros problemas, principalmente obesidade e a rejeição futura de alimentos adequados para a saúde do animal. Por isso, os tutores não devem oferecer doces em barras, sejam caseiros ou industrializados.

Mas os cães podem consumir doce? Sim, mas desde que seja de uma fonte natural. “Se o tutor pretende oferecer sabores adocicados para os cães, pode optar por frutas, como mamão e maçã, e vegetais como, cenoura e batata-doce. Esses ingredientes, inclusive, já fazem parte da composição de algumas rações, que já contêm a quantidade balanceada desses ingredientes”, enfatiza Marcello.

Saúde bucal

Você sabia que 80% dos cães com mais de 3 anos de idade já sofreram de doença periodontal? Algumas doenças bucais caninas apresentam os mesmos alertas que no organismo humano.

O mau hálito, por exemplo, pode ser um indício de que o animal esteja sofrendo de doença periodontal, em que se cria tártaro, tanto por debaixo quanto por cima da linha das gengivas. A doença pode ser tratada rapidamente, se diagnosticada no início. Se não for tratada, pode desencadear complicações sérias para o animal, como perda de dentes e migração de bactérias para os rins, fígado e coração.

Originada pela proliferação de bactérias na boca do animal, a doença periodontal quase não apresenta sinais, tornando-a ainda mais perigosa. Geralmente, o desenvolvimento da doença periodontal tem a mesma razão: a falta de cuidado do tutor. Pesquisas mostram que 90% deles acreditam que os dentes e as gengivas de seu animal estão saudáveis, porém, quatro em cada cinco cães com mais de 3 anos de idade tem problemas nas gengivas.

Deixe seu comentário: