Últimas Notícias > Capa – Destaques > Um idoso que abusou sexualmente de vários meninos em Porto Alegre foi preso em Santa Catarina

Dados apontam redução nos índices de criminalidade no Litoral Norte

Videomonitoramento acontece de dentro dos caminhões. (Foto: O Sul)

A moradora de Novo Hamburgo, Neusa Rodrigues, veraneia no Litoral Norte há 15 anos. No ano passado ela teve o vidro do carro quebrado e a mochila furtada na Praia do Araça, em Capão da Canoa. Como não tinha dinheiro, um cidadão encontrou o material furtado numa calçada e levou até o hotel onde ela estava hospedada.

Neste ano, Neusa aproveita a temporada na parte central do município. “Tive apenas dano material com o vidro do carro quebrado e sorte por alguém encontrar a mochila com meus documentos, cartão de crédito e me entregar tudo. Nesses 15 anos, essa foi a única vez que tive problema com segurança, Por aqui, tenho visto mais brigadianos de bicicleta e a cavalo”, declara a veranista.

Neusa Rodrigues percebe a presença dos policiais nas ruas de Capão da Canoa. (Foto: O Sul)

Dados

Dados apontam redução de 17% da criminalidade numa área de atuação de Tramandaí a Torres durante a 49ª Operação Golfinho da Brigada Militar (BM). O percentual foi registrado pelo Programa Avante da BM, que busca adotar a gestão por resultados, utilizando-se de melhorias de processos, emprego de dados oriundos de análise criminal e de inteligência, entre outras ferramentas.

De acordo com o tenente-coronel, Pedro Burgel, responsável pelo 2º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (BPAT), a redução vem acontecendo ano a no. “Estamos no período da Operação Golfinho quando no mínimo triplica o número da população e da frota de veículos no Litoral Norte. Isso causa preocupação na mobilidade urbana e o policiamento recebe reforço de todo o Estado para que atenda bem a população”, enfatiza.

Tenente-coronel, Pedro Burgel, comanda o 2º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas. (Foto: O Sul)

Burgel informa que durante esta Operação Golfinho de 15 de dezembro a 31 de janeiro foram registradas 7.200 ocorrências que apontam redução de 17% em relação ao período de 2017 a 2018, com 8.867. “Acredito que esses indices se mantenham e a redução é por causa do mesmo processo de gestão adotado do ano passado ligado à visibilidade, à presença, e ao trabalho de inteligência nas três companhias: Tramandaí, Capão da Canoa e Torres”, avalia.

Informatização

O tenente José Felipe Guerreiro da Silva e responsável pela Tecnologia da Informação da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul explica que uma equipe de operacionalidade composta por monitores, condutores de caminhão e profissionais da parte de tecnologia da informação aliada ao caminhão embarcado atua no Litoral Norte.

Uma equipe composta por monitores, condutores de caminhão e profissionais da tecnologia da informação atua na Plataforma de Observação Elevada. (Foto: O Sul)

“Vídeo, gravação e visibilidade que traz a sensação de segurança. Dispomos de comunicação com a Capital com as inagens transmitidas direto para o Centro Integrado em Porto Alegre. Tudo o que acontece se transmite de onde estamos ou de onde o caminhão é requisitado pelos órgãos de segurança. Os gestores de segurança pública podem requisitar a presnça do caminhão no município para ampliar a segurança no local no caso de eventos, comemorações, ou situações que exijam videomonitoramento”, esclarece o tenente.

Deixe seu comentário: