Últimas Notícias > Notas Brasil > Justiça do Trabalho não julga ação de atleta de base contra clube

Desburocratização e modernização do Estado é meta do Cresce RS

Luís Augusto Lara detalhou o programa do Cresce RS durante coletiva de imprensa na Federasul (Foto: Rosi Boninsegna)

Um Rio Grande aberto ao mercado, sem as amarras burocráticas e o atraso e interesses de corporações. Esta é a meta do programa Cresce RS detalhado nesta quarta-feira (4), no Tá na Mesa, da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande Sul, pelo presidente do Legislativo estadual, Luís Augusto Lara. O evento é promovido semanalmente pela Federasul, no Palácio do Comércio, e é considerado um dos principais pontos de encontro do mundo empresarial gaúcho. A cada ano, o Tá na Mesa reúne mais de 10 mil pessoas.

Lara mostrou o viés conciliador, cooperativo e que abrange áreas como Logística, Infraestrutura e Tecnologia/Energia, do programa formatado pelos Três Poderes do Estado, junto de entidades empresariais, tais como a Federasul e aliado a universidades e organizações da sociedade civil. O foco é facilitar e aproximar o diálogo entre Poderes e órgãos importantes para retirar o freio da burocracia e criar um ambiente amistoso para o empreendedorismo no Estado.

A meta do Cresce RS é destravar e possibilitar a retomada do crescimento econômico, por meio da viabilização e concessão de rodovias, ferrovias e PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas). Outra possibilidade apresentada por Lara está na simplificação de licenciamentos diversos (PPCI, Ambiental, Alvarás). “Vamos arregaçar as mangas e não mediremos esforços para tirar do papel essas obras que são o sonho de muitas pessoas e o progresso do Rio Grande do Sul”, enfatizou. Além do avanço na parte documental, o programa deve focar, também, na facilitação da concessão de crédito via Banrisul. De acordo com o presidente do Legislativo, “o Banrisul só pode continuar sendo público se ele fomentar a economia gaúcha com o foco de agência de fomento que aporte mais recursos em empreendimentos que irão alavancar a economia”.

Sobre a polêmica entre Executivo e demais poderes na Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO), que prevê congelamento de valores, Lara declarou que há cinco anos o orçamento já está congelado. “A Assembleia tem sido uma mediadora. Temos nos esforçado para que se chegue a um consenso. Fiz uma proposta de se repassar o duodécimo (fatia orçamentária devida a cada Poder) de forma proporcional à arrecadação, e não à proposta orçamentária, que muitas vezes é fictícia. Acho que há clima para isso, diferentemente do que ocorreu no governo anterior”, analisou. O presidente do Legislativo afirmou que a LDO deve respeitar o princípio da arrecadação. “Se o Estado arrecada mais, o repasse deve ser a mais, mas se o Estado for acometido por um déficit, isso deve ser sentido por outros integrantes dos Poderes”.

Homenagem

Proposto pelo deputado estadual Ernani Polo, a Federasul foi homenageada pela promoção da reunião-almoço Tá na Mesa, quem em 2019 chegou à sua milésima edição. A placa-homenagem foi entregue na abertura do encontro à presidente da Federasul, Simone Leite, e contou com a presença de parlamentares, tais como Aloísio Classmann, Rodrigo Lorenzoni, Edson Brum, Sebastião Melo e o presidente da ALRS, Luís Augusto Lara.

Simone Leite recebeu a placa alusiva às mil edições do Tá na Mesa, das mãos do presidente Lara, junto do proponente da homenagem, o deputado Ernani Polo (Foto: Rosi Boninsegna)