Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Deputados querem alterar a reestruturação de Bolsonaro que reduziu o número de ministérios e migrou órgãos

Desembargador determina soltura de Michel Temer

Decisão foi expedida na tarde desta segunda-feira (25). Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)
Por Isadora Aires

Na tarde desta segunda-feira (25), o desembargador Antonio Ivan Athié determinou a soltura do ex-presidente Michel Temer. Athié é o relator do habeas corpus pedido pelos advogados de Temer, que contestam o decreto de prisão do juiz Marcelo Bretas, expedido na última quinta-feira (2). A decisão inclui a libertação dos outros presos na Operação Descontaminação, incluindo o ex-ministro Moreira Franco. No pedido de revogação da prisão, Ithié ressaltou não ser conta a Operação Lava Jato. “Ao contrário, também quero ver nosso país livre da corrupção que o assola”, ressaltou ele. Entretanto, para o desembargador “sem observância das garantias constitucionais, asseguradas a todos, inclusive aos que a renegam aos outros, com violação de regras não há legitimidade no combate a essa praga”.

Em comentário ao “Conexão Pampa”, Armando Burd comentou que o furor sobre a decisão mostra como a Justiça está sendo tratada “como se fosse uma novela de televisão ou um jogo de futebol”. Burd ainda afirmou que “um juiz pode interpretar [uma decisão] de uma forma diferenciada de outro” e que “o curso do processo [das investigações sobre Michel Temer] segue. Gustavo Victorino declarou que foi surpreendido pela decisão de Athié pois o mesmo disse que não decidiria quanto ao habeas corpus sozinho e levaria a questão para sua Turma, na quarta-feira (27). Victorino lembrou que “mesmo solto, [Temer] continua sendo investigado e ainda está respondendo a nove inquéritos”. E finalizou dizendo que “no entender [de Athié] houve atropelo das garantias constitucionais”.

Deixe seu comentário: