Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Bolsonaro questiona se óleo no Nordeste seria ato criminoso para afetar leilão da cessão onerosa

Desempenho da indústria gaúcha tem a quinta queda seguida, aponta Fiergs

"Há muitas incertezas geradas pelo cenário de instabilidade política, ajuste fiscal e juros elevados", disse o presidente da Fiergs, Heitor José Müller (Foto: Banco de Dados)

O IDI-RS (Índice de Desempenho Industrial no Estado) – levantamento realizado pela Fiergs (Federação das Indústrias  do Rio Grande do Sul) – caiu 0,3% na passagem de julho para agosto,  ajustado sazonalmente. Essa foi a quinta retração seguida e o nível  mais baixo da série histórica iniciada em 2003. Em relação ao mesmo mês de 2014, o recuo somou 10%.

De acordo com o presidente da Fiergs, Heitor José Müller, essa situação impacta a confiança dos empresários gaúchos. “Há muitas incertezas geradas  pelo cenário de instabilidade política, ajuste fiscal, juros elevados, aumento de custos e falta de crédito, além da contração do consumo doméstico, que deverá se aprofundar com maior desemprego. Tudo isso mantêm as perspectivas futuras desfavoráveis para produção, emprego e  investimentos”, avaliou.

O resultado de agosto ante julho refletiu a queda generalizada das variáveis do IDI-RS, com exceção da UCI (Utilização da Capacidade Instalada), que ficou estável. As perdas vieram do faturamento real (-3,9%), emprego (-1,2%), massa salarial real (-1%), horas trabalhadas na produção (-0,8%) e compras de insumos e matérias-primas (-0,6%).

No acumulado dos primeiros oito meses do ano, o desempenho das indústrias  no Estado demonstrou ainda mais o aprofundamento do processo econômico recessivo. Em comparação com igual período do ano passado, o recuo de 8,3%  foi o mais intenso desde 2009. Dos 17 setores pesquisados, 14  desaceleraram. As principais influências negativas vieram de veículos automotores (-22,4%), móveis (-14,8%), máquinas e equipamentos (-14,2%) e  metalurgia (-10,9%).