Últimas Notícias > Notícias > Política > Rede de academias já conta oito clientes presos na Operação Lava-Jato

Dia 31 será marcado pela demissão de 300 funcionários da saúde em Canoas

(Divulgação/ Hospital Nossa Senhora das Graças)

Por Brayan Brum*

*Matéria em atualização

O Hospital Nossa Senhora das Graças, que presta serviços para a prefeitura de Canoas, deverá dispensar cerca de 300 funcionários da área da saúde até o dia 31 deste mês. Distribuídos em 27 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), oito farmácias e três Unidades de Pronto Atendimento (UPA) os colaboradores vinculados à Associação São Miguel e à Associação Beneficente de Canoas (ABC) não terão seus contratos renovados com o município.

Questionado sobre o futuro destes funcionários, o Secretário de Saúde de Canoas, Fernando Ritter, afirmou que “Não vai haver prejuízo ou descontinuidade dos serviços, que hoje são praticados para a população”.

Sobre as empresas que assumirão os serviços a partir do dia 31, Ritter destaca que a maior parte dos serviços será repassado para Fundação Municipal de Saúde e a outra parte já esta com um processo licitatório em andamento. Com relação a UPA Boqueirão o secretário diz que, caso não haja tempo hábil para a contratação de uma empresa, a prefeitura terá uma empresa emergencial para assumir a administração até que o processo normal se conclua.

O Secretário-Geral do Sindisaúde do Rio Grande do Sul, Júlio Jesien, destaca a preocupação da categoria com o não pagamento do valor rescisório aos trabalhadores e cita ainda que nos últimos dois anos não tem sido pago nem mesmo o FGTS que poderá vir a atrapalhar a gestão do seguro desemprego.

Jesien fala ainda da insatisfação por parte dos funcionários com a prefeitura: “A gente tem essa visão de que a terceirização da saúde vem causando prejuízos enormes, o próprio Gamp foi um reflexo disso (…) já tá mais do que comprovado que a terceirização da saúde tem, além do desvio de verbas, o apadrinhamento de muitos políticos. Por conta disso nós somos contrários as privatizações”.

Revoltados com a notícia, os funcionários afetados protestam, nesta sexta-feira (12) em frente a Secretaria de Saúde do município. Com a intenção de receber os valores citados acima pelo secretário-geral o sindicato está intermediando o não recebimento das verbas junto ao Tribunal Regional do Trabalho da 4° região, em Porto Alegre, onde alguns representantes dos profissionais da saúde estiveram presentes.

Confira o vídeo:

 

A reportagem completa estará disponível às 18:55 no Jornal da Pampa.

*Estagiário sob supervisão de Marjana Vargas